CCB Hinos - Topicos de ensinamentos 2002 67 Assembleia

CCB Hinos - Congregação Cristã no Brasil

Quero Gravar Meu CD (dom da música)
Enviar Hinos, Tocatas e Fotos
Notícias e Artigos da Congregação
Coloque em seu site gratuítamente

O melhor site da CCB, milhares de CDS.
Mais rápido, mais seguro com mais hinos

Portal CCB Hinos Congregação



Abaixo a lista de ensinamentos da CCB Congregação Cristã no Brasil




Tópicos de ensinamentos 2002 - 67 - Assembléia



CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

67ª ASSEMBLÉIA - 2002

67ª ASSEMBLÉIA - 2002 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 25 A 29 DE MARCO DE 2002

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste­risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - FERIADOS RELIGIOSOS - COMEMORAÇÕES

Em feriados religiosos exorta-se a irmandade a que se alimente normalmente, como nos dias comuns, sem nenhuma intenção de celebrar aquele determinado dia, como também se exorta a que não haja decorações referentes à data. Em casas da irmandade onde uma parte não é da fé, há necessidade de muita prudência. A Palavra de Deus aconselha a que fujamos da idolatria e dos seus costumes. Caso necessite melhores esclarecimentos, a irmandade aconselhe-se com os servos de Deus do ministério da Igreja.

* 2 - CASAIS DE NAMORADOS QUE SE UNEM ANTES DO CASAMENTO

Unir-se antes do casamento é considerado pecado de fornicação. Aqueles que assim procederem não deverão orar, nem testemunhar e nem chamar hinos na Igreja. Sendo músicos ou organistas, também não deverão tocar. Se tiverem algum cargo na Obra de Deus, serão destituídos.

Nossa mocidade deve, acima de tudo, andar em santidade, consagrando o seu corpo a Deus, não andando segundo o desenfreamento do mundo. Nossos jovens que vão contrair matrimônio devem, respeitosamente, aguardar o dia das núpcias para se unirem no temor de Deus.

* 3 - EXORTAR A IRMANDADE A LER A BIBLIA SAGRADA

A irmandade deve ser ensinada e incentivada a ler as Escrituras Sagradas. Há irmãos que nunca lêem a Biblia, não têm qualquer conhecimento do seu conteúdo. O apóstolo São Paulo falou a Timóteo “persiste em ler" (I Tim., cap. 4, v" 13).

* 4 - FUNERAIS - HORÁRIO - DURAÇÃO

Ao comunicar um funeral, deverá ser anunciada a hora da saída do enterro. O serviço divino no funeral não deverá ultrapassar de uma hora. Outrossim, em funerais não deverá haver orquestra e nem saudação com o ósculo, como temos sido ensinados.

Também não se deve tocar nossos Hinos em festas de casamento.

* 5 - TESTEMUNHOS - TRANSMITIR SAUDAÇÕES

Lembramos à irmandade que mora e congrega em bairros da mesma cidade que, de uma congregação para outra não é necessário trazer e levar saudações.

* 6 - CASAMENTOS - ONDE DEVE SER FEITA A ORAÇÃO

Os servos primitivos sempre fizeram a oração no lugar onde os noivos se casavam e os convidados se reuniam para comemorar, em casa ou no salão. E assim deve continuar. Se o casamento for celebrado em um cartório, ora-se depois no local para onde os noivos e convidados se dirigirem para celebrar, seja em casa ou no salão. Deve-se ensinar a irmandade a se guardar da vaidade e das apresentações mundanas quanto aos trajes e ao porte, nas festas de casamento. As irmãs deverão levar seus véus em suas bolsas. Ora-se ajoelhados.

A irmandade não deve se esquecer da moderação na alimentação e nas bebidas, para não dar mau testemunho.

* 7 - HINO DOS MÚSICOS, APÓS O ENCERRAMENTO DO CULTO

(Repetição do Tópico 16, de 1994)

Deve-se tocar só uma estrofe e o coro do Hino dos músicos, após o encerramento do culto, sem exceção.

* 8 - ATENDIMENTOS AOS NECESSITADOS DE REGIÕES CARENTES

Se Deus revelar para algum irmão a necessidade de atender alguma localidade, deverá fazê-lo sempre de forma sigilosa e com seus próprios recursos, sem o intuito de aparecer, e o Nome de Deus será glorificado.

Alguns, tendo prazer em viajar, vão de casa em casa de nossos irmãos pedindo ajuda em dinheiro, roupas, mantimentos, lotam caminhões ou caminhonetes e viajam em grupos dizendo-se em missão. Dirigem-se para a localidade, hospedam-se em casa de irmãos que nem sempre têm condições, e fazem a distribuição sem comunicar ao ministério local, menosprezando, assim, os que Deus colocou para o atendimento. Ao retornar contam nas congregações testemunhos que deixam dúvidas quanto à sua veracidade.

Não convém que a irmandade proceda dessa maneira, mas que entreguem suas ofertas e coletas, cada um em sua comum congregação. Os irmãos que desejam viajar devem hospedar-se em hotéis, evitando dar prejuízo às famílias.

Quem levar recursos para outras localidades deve procurar os diáconos dessas regiões para que estes, com a guia de Deus, efetuem as distribuições.

* 9 - JOGOS DE AZAR - EVITAR

A irmandade não deve participar e nem se envolver em jogos de azar.

*10 - DOUTRINA - ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM

Alguns irmãos não conhecendo bem as Escrituras, entendem que antes de Adão havia homens na terra. Nós porém, que cremos e aceitamos a Bíblia Sagrada como contendo a infalível Palavra de Deus, temos que nos ater ao que está escrito. No capítulo 2, verso 4, do livro de Gênesis vem dito: “Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus, E toda a planta do campo que ainda não estava na terra, e toda a erva do campo que ainda não brotava; porque ainda o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, e não havia homem para lavrar a terra”.

Também está escrito que Eva foi a mãe de todos os viventes.

* 11 - TESTEMUNHOS NOS CULTOS

Alguns testemunhos se prolongam demasiadamente porque a irmandade não sabe resumir, contam o que aconteceu com muitos detalhes desnecessários, se alongam demais e quase não sobra tempo para outros testemunhos e para a Palavra. É preciso exortar a que procurem resumir, evitando detalhes que de nenhum proveito são para a irmandade e tornam os cultos cansativos.

* 12 - INSTRUMENTO "POCKET" APROVADO PARA SER INCLUIDO EM NOSSAS ORQUESTRAS

Trata-se de um instrumento que em nada difere do trompete comum (pistão), a não ser no tamanho menor. O som é idêntico e o ministério, havendo considerado, deliberou aprová-lo para uso geral em todas as nossas orquestras.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

13 - REUNIÕES PARA A MOCIDADE - HORÁRIO PARA TERMINAR

As reuniões para a mocidade não devem terminar tarde. Considera-se que duas horas sejam suficientes para a sua duração, com a tolerância de alguns poucos minutos, lembrando também que, em algumas localidades os cultos aos domingos são iniciados às 18 horas e 30 minutos. Os servos que não atenderem a esta orientação serão imediatamente chamados e advertidos em reunião ministerial.

14 - PREGAÇÃO NAS REUNIÕES PARA A MOCIDADE - CAUTELAS

Em algumas reuniões para a mocidade alguns anciães estão exagerando um pouco, falando o que não deve ser falado, dando mandamentos que não encontram fundamento nas Escrituras Sagradas e nem na luz de Deus. O que é de Deus só tem uma interpretação: aquela que o Espirito Santo dá à Igreja. Mas muitos interpretam à sua maneira e aí vem a tristeza e a reprovação de Deus no coração daqueles que estão ouvindo. Não podemos deixar que se espalhe entre a irmandade outra doutrina. Sobre os ombros do Senhor Jesus é que está esta Obra. Deus nos ajude a fazer a Sua vontade e nos revista da humildade e da espiritualidade, não imitando os homens que não conhecem a Deus e vivem carnalmente, procurando ser vistos nesta Obra. O tempo é mau e trabalhoso sobre a face da terra. Devemos pedir a Deus que nos socorra e nos ajude, pondo em nossas mãos as ferramentas necessárias para manter a unidade no meio da Sua Obra. E a principal ferramenta é a caridade.

15 - CELEBRAÇÃO DA REUNIÃO ANUAL DE ENSINAMENTOS

Primeiramente abre-se a reunião, canta-se um hino, faz-se a oração e se lê a Palavra. Em seguida entra-se nos assuntos para os quais foi convocada a reunião. É necessário que fiquemos todos nesta linha e nesta santa tradição.

Também nas reuniões em que se ora para novos obreiros se fazia assim pelo passado e assim deve continuar. Os mais novos no ministério devem aguardar pelos mais antigos, na apresentação e na confirmação. Quem apresenta não deve se manifestar.

16 - COMPARECIMENTO DOS DIÁCONOS NAS REUNIÕES GERAIS EM SÃO PAULO

A partir das Reuniões Gerais de Ensinamentos do próximo ano (2003), deverão vir a São Paulo somente os diáconos mais antigos de cada região ou Estado que forem convocados.

17 - IRMÃO SEM MINISTÉRIO - NÃO FREQÜENTAR REUNIÃO MINISTERIAL

Irmão sem ministério, embora se dedique a viajar com seu veículo próprio, com um servo em missão, não lhe é permitido freqüentar reuniões ministeriais e da Obra da Piedade. Alguns irmãos de ministério têm permitido a entrada de acompanhantes, dos quais alguns até chegaram a presidir culto e pregar a Palavra, o que não convém.

18 - REUNIÕES MINISTERIAIS - NÃO COMPARECEREM ENCARREGADOS REGIO­NAIS DE ORQUESTRA, NEM COOPERADORES DE JOVENS E MENORES

(Repetição do Tópico 16, de 1988)

Em reuniões ministeriais anuais e regionais não devem comparecer encarregados regionais ou locais de orquestra, nem cooperadores de jovens e menores. Encarregados regionais que tiverem ensaios para marcar procurem se comunicar com os anciães que irão atender, nas suas comuns congregações.

19 - ENSAIOS REGIONAIS EM OUTRAS LOCALIDADES - PRECAUÇÕES

Irmãos anciães devem ter precauções quanto a convidar encarregados regionais para atenderem ensaios em suas localidades e Estados. A mesma prudência deve-se esperar dos encarregados regionais. Um dos objetivos é evitar o comparecimento exagerado e maciço dos irmãos músicos nas localidades onde se realizam os ensaios. Os anciães e encarregados regionais mantenham sobriedade e controle nesse assunto.

Outrossim, o encarregado regional que pretender sair de sua região para atender fora, no mesmo Estado ou em outro, deverá apresentar o assunto ao ministério local para que seja considerado e deliberado em reunião ministerial.

20 - OFICIALIZAÇÃO DE IRMÃOS MÚSICOS

Em algumas regiões o ancião, ao apresentar músicos e organistas que foram oficializados, chama-os em cima, no púlpito, faz a apresentação dos mesmos e depois faz uma oração. Isto não está correto.

Tornamos a lembrar o procedimento constante no Histórico e Instruções sobre as Orquestras nas Congregações: Nos exames deverá sempre estar presente um ancião, a fim de, após a aprovação, apresentar os cosnselhos necessários, mostrando aos músicos e organistas a responsabilidade que assumem perante Deus. Nessa mesma ocasião o ancião os apresentará a Deus em oração, ficando eles oficializados. Restará apenas serem apresentados à irmandade pelo ancião, nas suas congregações.

21 - ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO COM FUNDO MUSICAL

Em algumas localidades, na oração de agradecimento o servo que está presidindo pede à organista que toque um hino bem suave, como um fundo musical, cuidando render mais comunhão. Aqueles que assim procedem devem cessar imediatamente, pois isto foge às santas tradições da Obra de Deus.

22 - APRESENTAÇÃO DE NOVOS OBREIROS

A apresentação de novos obreiros sempre deve ser feita pela guia de Deus. Deve haver bastante rigor na indicação e apresentação de novos obreiros, sempre por revelação de Deus. Deve-se verificar, sempre, se o irmão a ser apresentado tem realmente o dom de Deus e qual é esse dom, se da Palavra ou da Piedade.

Outrossim, a apresentação de irmãs para a Obra da Piedade e encarregados locais de orquestra, bem como a colocação de porteiros, deve sempre ser considerada previamente na comunhão entre os anciães, os diáconos e os cooperadores locais.

23 - FICHA DE APRESENTAÇÃO DE COOPERADORES

Ao se apresentar um irmão para cooperador do ofício ministerial ou de jovens e menores, deverá ser preenchida uma Ficha de Apresentação semelhante àquelas utilizadas para a apresentação de anciães e de diáconos.

24 - BANQUETES POR OCASIÃO DE ORDENAÇÕES

Há localidades em que são alugados salões e se fazem churrascada e distribuição de bebidas até para estranhos que por ali passam, por ocasião da ordenação de anciães e diáconos. Já fomos ensinados a não fazer banquetes nessas ocasiões (tópico de 1976). A Palavra de Deus diz que os presbíteros não devem ser dados ao vinho. Evitemos tudo o que possa causar escândalo ou tropeço aos irmãos e aos de fora.

25 - HINOS NAS SANTAS CEIAS

Os hinos serão chamados pelo Ancião que presidir a santa ceia, na seqüência, conforme a lista no índice do hinário, até o sexto hino, que é o 394. Quando começar a distribuição, o servo que preside não precisa seguir a seqüência do índice. Poderá alternar os números.

26 - CÔNJUGES QUE CAEM NO PECADO

Ancião, diácono, cooperador e cooperador de jovens e menores, cuja esposa cair em pecado, se quiser conviver com ela, perderá o ministério. Os demais casos, dentre a irmandade, serão julgados pelo ministério, conforme a luz de Deus.

27 - SEPARAÇÃO DE CASAIS DENTRE A IRMANDADE

A Palavra de Deus determina que o homem não separe o que Deus ajuntou. Quando ocorrer uma separação de casais dentre a irmandade, ambos ficarão sem liberdade na Igreja. Porém, se ficar evidente que um dos cônjuges não é culpado, a parte que permanecer fiel a Deus, continuará com liberdade na Igreja.

28 - USO DO VÉU PARA AS QUE PECARAM

Há irmãos do ministério que, em sua região, impedem as que pecaram de usar véu na igreja. Esse impedimento deve cessar, pois não se encontra em nenhum ponto da doutrina apostólica um ensinamento de que uma mulher, nessas condições, deixe de usar o véu na igreja. Isso discrimina, humilha e identifica a que errou. Como faríamos com um irmão que tivesse cometido um erro idêntico? Dessa maneira ela fica marcada, causando espanto até para as pessoas que visitam a igreja e a conheceram como nossa irmã na fé, as quais ficarão sabendo que ela cometeu um pecado. Assim a colocaremos em profunda tristeza e amargura e haverá o risco de que se perca totalmente, sentindo-se completamente desprezada. Temos também que nos lembrar de seus filhos e filhas, além de outros seus parentes. Não cremos que esse procedimento seja revelação de Deus.

Isto está confirmado pelo tópico n° 3, da Assembléia de 1984.

29 - BATISMO - ORAÇÃO NAS ÁGUAS

O Ancião, ao orar nas águas do batismo deve impor uma só mão sobre a cabeça de quem vai ser batizado e, com a outra segurar-lhe as mãos cruzadas. Em seguida, pronunciar as palavras do batismo e imergir a pessoa. A mão que estava imposta sobre a cabeça desloca-se para o pescoço para reerguer a pessoa das águas. Nunca se deve impor as duas mãos sobre a cabeça de quem vai ser batizado. Somente uma: ou a direita, ou a esquerda. A oração nas águas não deve ser prolongada.

Nos batismos, quem ajudar no tanque deverá deixar o ancião imergir a pessoa e somente ajudá-lo a levantá-la, se necessário.

30 - ANCIÃES RECÉM ORDENADOS

Anciães recém ordenados não devem se precipitar no atendimento de batismos, santas ceias e reuniões da mocidade. Procurem adquirir um pouco de experiência dos mais antigos e aguardar o tempo necessário, sem solicitude.

31 - CREMACÃO - SERVIÇO DIVINO EM FUNERAL

Já saiu um ensinamento, em 1981, de que não convém cremar os corpos mas, se possível, deixá-los como estão.

Se alguma família mandar cremar o corpo, não se pode dizer que eles pecaram, ou que feriram a doutrina. Não podemos deixar de fazer o servíço divino no funeral, mesmo sabendo que, depois do serviço, em vez de enterrar o corpo a família mandará cremá-lo.

Fiquemos nesse ensinamento: o serviço divino no funeral deve ser feito com o corpo presente. Quanto ao resto, deixemos nas mãos de Deus.

32 - ANÚNCIOS EM LISTAS DE BATISMOS

Nas listas de batismos não deve ser colocado o nome do ancião que vai atender as reuniões da mocidade e nem dos encarregados regionais que vão atender os ensaios regionais.

33 - TÓPICOS DAS REUNIÕES GERAIS DE ENSINAMENTOS

Em alguns locais, irmãos do ministério reúnem-se depois das reuniões gerais de ensinamentos para considerar quais os tópicos que convém e quais os que não convém ler na congregação. Alguns chegam a dizer, perante a irmandade: “Este tópico diz assim, mas eu vou fazer como Deus me faz sentir.”

Os tópicos são elaborados na comunhão do ministério de todo o Brasil e do Exterior, e nenhum deve deixar de ser lido e posto em prática, tanto aqueles que são para a irmandade como aqueles dirigidos ao ministério.

34 - LIBERDADE EXCESSIVA - COMPORTAMENTO INADEQUADO - IMPUNIDADE

Sempre se exorta para se observar um comportamento moderado, evitando exageros na presidência dos cultos e, principalmente, na pregação da Palavra. Lamentavelmente, conselhos de tanta utilidade não têm sido observados. Há anciães, cooperadores e cooperadores de jovens e menores que têm usado de liberdade excessiva e inadequada perante o povo. Pregações com exagerada eloquência e promessas que não se cumprem. Gritam, pulam, gesticulam em demasia, prometem empregos, casamentos, filhos, missão, etc. Isto tem causado transtornos aos menos avisados com embaraços no matrimônio, nos negócios e viagens desnecessárias. Para darem a impressão de super-revestidos de dons, tais irmãos deixam transparecer, diante do povo, desafios ao santo ministério mais idôneo. O conceito do ministério vem decaindo diante da irmandade que, às vezes, reclama citando que isto ocorre porque ninguém toma providências. Considerando a gravidade da situação, delibera-se que, doravante, as situações que se apresentarem serão consideradas pelos anciães mais antigos em cada região e, sendo necessário, o caso será encaminhado à reunião regional, ocasião em que os envolvidos serão severamente exortados e, dependendo da gravidade, impedidos de exercer o ministério da Palavra, por estarem dividindo o ministério e a irmandade.

35 - SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES DE CLASSE

Irmãos de ministério não devem participar da direção de sindicatos e associações de classe.

36 - COLETAS MARCADAS E PRÉ-ANOTADAS

Tem havido muitas reclamações quanto à forma de se efetuar coletas em muitas localidades, ou seja, coletas marcadas e pré-anotadas, forçando a irmandade com listas e vales para pagamento posterior, listas de materiais de construções, listas para instrumentos musicais, etc. Os que persistirem em não atender a este conselho serão chamados pelo Ministério.

Não deve haver pressão sobre a irmandade, pois ela deve ser livre para contribuir de acordo com a vontade de Deus.

Doações voluntárias de materiais são aceitas, desde que sejam no padrão que a Congregação utiliza.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - REUNIÕES DE ENSINAMENTOS DA OBRA DA PIEDADE

Nessas reuniões devem participar: anciães, cooperadores do oficio ministerial, diáconos, irmãs da Obra da Piedade e irmãs do almoxarifado da Piedade, isto é, só os irmãos que têm ministério na Obra de Deus.

O diácono que atende deve ministrar os ensinamentos necessários, procurando observar o horário da reunião, não prolongando demais os assuntos.

2 - REUNIÕES DE ENSINAMENTOS PARA PORTEIROS

Nessas reuniões devem estar presentes: anciães, cooperadores do ofício ministerial, diáconos, porteiros, operadores de som, administradores e comodatários.

A reunião é aberta Em Nome do Senhor Jesus e presidida por um ancião. Deverá cantar-se um hino, ter oração e Palavra.

Em seguida os irmãos anciães e diáconos devem ministrar os ensinamentos necessários, observando-se, também, o tempo. Após, o Senhor guiará o ancião que estiver presidindo até o encerramento.

3 - COMPARECIMENTO ÀS REUNIÕES MINISTERIAIS E REGIONAIS DA OBRA DA PIEDADE

É dever de todos os diáconos comparecer a essas reuniões ministeriais e regionais da Obra da Piedade. Devemos ser responsáveis no ministério que Deus nos tem concedido.

4 - VIAGENS MISSIONÁRIAS COM VEÍCULOS PRÓPRIOS OU DE TERCEIROS

A Congregação Cristã no Brasil não se responsabiliza por eventuais danos pessoais, bem como materiais causados nos veículos utilizados em viagens missionárias. Caso o veiculo seja utilizado para conduzir servos de Deus em missão, devem ser observados os seguintes itens:

a) Estar em bom estado de conservação (mecânica e pneus);

b) A documentação do motorista e do veiculo devem estar em ordem;

c) O veiculo deve estar segurado com cobertura total;

d) O irmão que se sentir de levar os servos de Deus na missão deverá ter disponibilidade de tempo, sem prejuízo de seus compromissos.

5 - REVISÕES PERIÓDICAS NAS REGIONAIS DA OBRA DA PIEDADE

Essas revisões estão sendo executadas nas Regionais de Atendimento, para manter­-se a uniformidade dos procedimentos relativos à documentação e escrituração da Obra da Piedade, e também para estarmos de acordo com as leis vigentes.

Todos os procedimentos constam do Manual de Escrituração da Obra da Piedade, que devem ser obedecidos.

É necessário a presença de todos os diáconos da localidade por ocasião das revisões e os livros, bem como toda a documentação, devem ser colocados à disposição dos revisores.

6 - VIAGENS POR CONVITES

O atendimento das viagens missionárias pelo Caixa de Viagens, somente será autorizado quando consideradas em reunião de ministério, sendo orado e confirmadas.
INDIQUE O CCB HINOS PARA NOSSOS IRMÃOS, AMIGOS E TESTEMUNHADOS
   
Seu Nome:
Seu Email:
Pessoa indicada (nome):
Pessoa indicada (email):
Digite uma mensagem para seu amigo:
 
         


Sistema para Imobiliária

*Site não vinculado com a entidade Congregação Cristã no Brasil.

Desenvolvido por KUROLE