CCB Hinos - Topicos de Ensinamentos 2011

CCB Hinos - Congregação Cristã no Brasil

Quero Gravar Meu CD (dom da música)
Enviar Hinos, Tocatas e Fotos
Notícias e Artigos da Congregação
Coloque em seu site gratuítamente

O melhor site da CCB, milhares de CDS.
Mais rápido, mais seguro com mais hinos

Portal CCB Hinos Congregação



Abaixo a lista de ensinamentos da CCB Congregação Cristã no Brasil




Tópicos de Ensinamentos 2011



76ª ASSEMBLÉIA – 2011 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 19 A 23 DE ABRIL DE 2011

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Somente os tópicos assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade em cada reunião de ensinamentos entrarão em vigor após a realização anual de ensinamentos.

* 1 – GRAVAÇÃO DE SERVIÇOS SANTOS

Não é conveniente e nem contribui para edificação realizarem-se gravações de pregações palavra, orações e outros serviços que o senhor nos concede.

A Palavra vem pelo Espírito Santo, dirigida para aquele ato e para aquele momento. Vem inspirada com a fé para edificação de que a ouve. Já o gravador materializa a pregação, não produzindo o mesmo efeito no coração de quem a ouve.

Este ensinamento e antigo (Assembléia de 1988) Portanto evitemos tais gravações.

* 2 – FREQÜÊNCIA NOS CULTOS PARA OUVIR A PALAVRA DE DEUS

A irmandade deve esforçar-se para freqüentar os cultos a fim de ouvir a Santa Palavra de Deus para sua firmeza na fé. Na Sagrada Escritura existe tudo o que se precisa, individual e coletivamente.

Se alguém precisa de sabedoria para entender o que Deus tem já revelado em sua Santa Palavra com filho, deve recorrer a ele para alcançar o necessário entendimento.

Há irmãos que esta impossibilitado de congregar por motivo de enfermidade; e necessário que irmãos do ministério o visitem, expondo para eles a palavra de Deus, para que não venham a enfraquecer na fé.

* 3 – CARTA DE APRESENTAÇÃO

A irmandade não deve receber em suas casas irmão ou irmã desconhecidos, sem antes consultar o ministério local que, baseado na carta de apresentação, recomendara ou não os recém chegados.

* 4 – “AMEM”

Quando o servo de Deus anuncia o capitulo e o versículo da Palavra, a irmandade não precisa dizer a palavra “Amem”, Apenas Quando termina a leitura.

* 5 – COMUNICAÇÕES VIA INTERNET

Esta se espalhando entre a irmandade, principalmente entre os jovens, a participação em redes sociais ou comunidades virtuais, formadas ou em formação, que se relacionam via internet. Muitos colocam suas fotos, seus dados pessoais, endereços de suas preferências, isso poderá despertar a atenção de pessoas mal intencionadas e acarretar sérios problemas s prejuízos. Esse tipo de comunicação permite, também, fazer montagens fotográficas que poderão colocar pessoas em situação difícil e embaraçosa.

A irmandade (principalmente a mocidade) deve ser exortada a se guardar, não se expor, para não correr o risco de se desencaminhar. Muitos, infelizmente, já se desencaminharam. Esse tipo de relacionamento via internet não serve para o crente.

Outrossim, pessoas que se intitulam nossos irmãos estão colocando na internet assuntos referentes a congregação e a irmandade, sem o nosso consentimento

Tudo que o crente tem de necessidade para sua vida, principalmente espiritual, esta contido na Palavra de Deus, que o Senhor envia, todos os dias nos Santos Cultos, a irmandade não deve se envolver com coisas que só trazem confusão na obra de Deus.

* 6 – FUNERAL – HORÁRIO

Anuncia-se a hora da saída do enterro e avisa-se a irmandade que o serviço divino funeral normalmente é iniciado uma hora antes; mas que, dependendo da situação poderá ser antecipado o seu inicio.

* 7 – CONSTRUÇÕES – GRUPOS DE IRMÃOS

Grupos de irmãos que se propõem a construir casas de oração em alguns Estados deve dirigir – se, primeiramente, aos servos que atendem aquela região e a respectiva administração necessária.

* 8 – ALDEIAS INDÍGENAS

Conforme tem sido amplamente divulgado pela imprensa escrita, falada e demais meios de comunicação, a visita de pessoas não credenciadas nas aldeias indígenas, tem causado muitos transtornos, alterando hábitos e costumes, infringindo as leis de proteção ao inicio. Alguns religiosos saindo fora dos princípios de evangelização, pedem aos índios objetos de artesanato e outros mais para beneficio próprio.

Somente a presidência da FUNAI é que pode conceder permissão para ingresso em termos indígenas no pais. Embora em varias aldeias haja a Obra de Deus, todavia, a irmandade deve abster-se de fazer visitas, deixando isso a cargo dos servos já designados para essa finalidade, a fim de evitar que a Congregação venha a sofrer restrição de evangelização, como tem acontecido com algumas denominações religiosas.

Outrossim, não se pode fazer coleta em aldeias indígenas. É proibido pela FUNAI.

Doações de roupas, instrumentos musicais, etc., deverão passar pelo ministério antes de ser encaminhadas as aldeias.

* 9 – CONTRIBUIÇÃO À PREVIDÊNCIA

Os irmãos que trabalham por conta própria, executando serviços diversos, devem contribuir para o INSS , pois é uma garantia para a família em caso de eventual ocorrência como doença e morte. Esta havendo muitos casos em que o irmão trabalha nessas condições, não se cadastra, não paga contribuição a previdência social e, vindo a ficar idoso, doente ou a falecer, deixa a família totalmente desamparada.


ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

10 – ENFERMOS QUE PEDEM BATISMO.

Já há ensinamento antigo de que, quando um enfermo pede batismo, deve se atender mais rapidamente possível, no próprio local, em um tanque portátil. Não se deve esperar para trazer enfermos graves nos batismos gerais.

11 – APRESENTAÇÃO DE COOPERADOR A IRMANDADE.

A apresentação de Cooperador do Oficio Ministerial a irmandade deve ser feita antes da palavra, podendo-se suspender ou abreviar os testemunhos, quando o Ancião que está presidindo deve chamar o novo Cooperador para cima do púlpito e ali fazer sua apresentação a irmandade. E em seguida o Ancião fará uma oração pedindo a Deus a Sua benção sobre ele (sem imposição de mãos) Após a oração o novo cooperador agradecerá a Deus e pedirá a oração da irmandade.

Quanto ao cooperador de jovens e menores, será apresentado no culto oficial, antes da Palavra e, depois, na reunião de jovens e menores, quando, então, se fará a oração.

12 – APRESENTAÇÃO DE AUXILIARES PARA A REUNIÃO DE JOVENS E MENORES.

A apresentação de auxiliares para a reunião de jovens e menores deve ser feita na própria reunião e não no culto oficial.

13 – REUNIÃO COM OS AUXILIARES DA REUNIÃO DE JOVENS E MENORES.

Onde houver necessidade podem ser feitas essas reuniões.

14 – PREGAÇÃO – NÃO LER SOMENTE UM VERSO OU O TITULO.

É necessário cuidado para que não se espalhe essa modalidade de ler apenas um verso ou titulo do capitulo, para depois fazer uma pregação muito extensa. A irmandade pode até perder o estimulo de levar a bíblia aos cultos. Deve-se ler o capitulo e, se ele for extenso e o tempo suficiente, interrompe-se a leitura em um determinado ponto, conforme a guia de Deus.

15 – PREGAÇÃO – HÁBITOS QUE DEVEM SER ABOLIDOS.

Temos sempre dado ensinamento a esse respeito, mas há servos que continuam errando nestes pontos. Muitos batem na tribuna quando pregam. Na tribuna estão os dizeres “Em Nome do Senhor Jesus” e não é lugar para se estar batendo. Mais grave ainda é bater sobre a Bíblia. Esse costume deve ser abolido pois é um desrespeito ao Nome do Senhor. A irmandade também nota isso e não aprova.

Não é necessário bater em lugar nenhum quando se exporta a Palavra. Alguns correm de um lado para outro do púlpito e dão pulos enquanto pregam. Outros batem na perna, batem palmas, dando um mau aspecto. E há os que exageram no falar, gritando na pregação. Esses hábitos devem acabar.

Outrossim, há pregadores que se preocupam mais em pregar promessas e libertações do que a doutrina. Nada deve ser feito por costume, mas por revelação de Deus.

16 – OUTRAS DENOMINAÇÕES – CUIDADO NAS PREGAÇÕES.

Cuidado para não mencionar nomes de denominações nas pregações. Tornamos a dar ensinamento ao ministério de que nos cultos e, principalmente nas pregações, não devemos mencionar nomes de denominações religiosas. Assim deve o ministério proceder e ensinar a irmandade também.

17 – DUVIDAS E ESCLARECIMENTOS.

Quando algum irmão do ministério tiver alguma duvida ou precisar de algum esclarecimento, deve dirigir-se ao Ancião mais antigo da região ou do Estado para depois, se necessário, dirigir-se aos anciães mais antigos que se reúnem em São Paulo.

18 – CARGOS E OUTRAS NECESSIDADES PARA OS QUAIS SE ORA E PARA OS QUAIS NÃO SE ORA BUSCANDO CONFIRMAÇÃO.

Ora-se em reunião ministerial, buscando-se a confirmação de Deus para os seguintes ministérios e cargos: Anciães; Diáconos; Cooperadores do Oficio Ministério; Cooperadores de Jovens e Menores; Encarregados de Orquestra Regionais e Locais; Irmãs Examinadoras de Organistas; Membros da Administração (titulares, vices e auxiliares) e do Conselho Fiscal; Irmãs para a Obra da Piedade; Batismos; Reuniões para a Mocidade; Reuniões para Jovens e Menores; Viagens Missionárias; Aumento ou supressão de Dias de Culto; Necessidade de Compra (ou Venda) do Imóvel.

Não se ora em reunião ministerial (porém se considera entre o ministério), para: Santa Ceia, comodatários (moradores em casas de oração); irmãos que colaboram na administração (sem fazer parte oficial dela); Auxiliares das Reuniões de Jovens e Menores; Auxiliares de Ensino Musical; Porteiros; Alteração de Dias e Horários de Cultos e das Reuniões de Jovens e Menores;

Outrossim; quanto aos que colaboram na Administração e para os quais não foi orado, denominam-se “colaboradores”.

19 – REUNIÕES PARA A MOCIDADE – PERGUNTAS.

O Ancião que preside não deve abrir a liberdade para se fazerem perguntas na reunião da mocidade. Deve-se exortar a irmandade a ler a Bíblia para conhecer melhor a Palavra de Deus.

Outrossim, deve-se honrar os servos locais e não convidar sempre irmãos de fora para atender a reunião da mocidade.

20 – ENCARREGADOS REGIONAIS – ATENDIMENTO A OUTRAS REGIÕES.

Os encarregados regionais foram colocados por Deus para atender cada qual a sua região. Atendimentos a outras regiões devem passar por reunião ministerial.

21 – ENSINAMENTOS REGIONAIS

21 – ENSINAMENTOS REGIONAIS – SÓ DOIS ENCARREGADOS REGEM

Em muitos ensaios regionais um encarregado marca o atendimento, mas comparecem vários regionais. Somente deve reger o que marcou o atendimento e, eventualmente mais um. Não deve haver revezamento na regência de ensaios regionais.

O mesmo hino não deve ser ensaiado pelos dois encarregados, no mesmo ensaio.

Aplica-se a mesma regra para ensaios locais. Se estiver presente um encarregado regional, no ensaio local, deve-se oferecer-lhe a liberdade.

A parte espiritual pertence ao ministério e não aos que regem.

22 – LIBRAS – LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

Esta sendo preparado um novo livreto sobre LIBRAS onde constarão as instruções necessárias, não para ser distribuído a irmandade, mas para todo o Ministério e para os irmãos envolvidos com essa parte.

23 – INTERNET – COMUNIDADES VIRTUAIS E REDES SOCIAIS.

Recomendamos ao ministério que não faça parte das redes sociais ou comunidades virtuais da internet para não degenerar, correndo o risco de ser prejudicado. O envolvimento nessas comunidades virtuais ou redes sociais poderá influenciar no julgamento de casos.

24 – CARGOS POLITICOS

Aquele que exercer cargo ou ministério na Congregação, caso se envolva em política ou se candidate a algum cargo político, perdera a condição de continuar no ministério e não poderá mais retornar (quer venha ganhar ou perder a eleição). Continuara como nosso irmão na fé, porem, não poderá influenciar a irmandade e nem fazer qualquer pronunciamento ou comentário político na Congregação, seja em oração, testemunho ou qualquer outra forma.

25 – “ANCIÃO PRESIDENTE” NÃO USAR ESSA EXPRESSÃO

Não usemos a expressão “Ancião Presidente”, “Diácono Presidente”, “Cooperador Presidente”. Essa linguagem eleva a pessoa do presidente administrativo. Em seu lugar digamos; O servo de Deus que preside o culto ou a reunião.

26 – SANTAS CEIAS – RODADAS MISTAS – SERVOS PARTICIPAREM MAIS DE UMA VEZ

Onde houve necessidade, far-se-ão rodadas mistas de irmãos e irmãs, devido à necessidade de algumas famílias se retirarem logo.

Servos que presidem ou serve a Santa Ceia são livres para participarem de novo em outro lugar onde atenderem, se Deus lhes fizer sentir. Não por costume. Faz-se isso principalmente quando atendemos no exterior.

27 – IRMÃOS QUE PERDEM O MINISTÉRIO – MUDANÇA

Há irmãos que perdem o ministério, mudam para outro estado ou nação, ocultam a realidade do que aconteceu e os irmãs da localidade para onde ele foi, La querem aproveitá-lo, porem, não procuram saber(como deveriam) o motivo pelo qual ele saiu sem ministério da localidade de onde veio.

Outrossim, quem perde o ministério seu nome não pode mais constar do Relatório em nação nenhuma.

28 – MUDANÇA DE SERVOS DE DEUS

Esta havendo um movimento já acentuado em nosso meio e no pais, de irmãos que mudam deixando o lugar onde foram ordenados ou apresentados e sendo reaproveitados para o lugar para onde form.

Devemos ficar no ensinamento que sempre tivemos, que quem mudar vai sem ministério e também que as mudanças deve ser por motivo de necessidade extrema.

29 – AFASTAMENTO DO MINISTÉRIO – MODELO DE CARTA

Aqueles que por qualquer motivo, tenham necessidade de afastar-se do ministério, poderão fazê-lo através de carta com os seguintes dizeres:

“Caros irmãos

Venho por meio desta informar que, de livre e espontânea vontade, afasto-me do ministério de Ancião (ou Diácono, ou Cooperador) que tenho exercido na Congregação Cristã no Brasil – bairro – cidade, pois estou me mudando para a cidade (menciona o nome), onde se faz necessária minha presença em virtude de (menciona a causa).

Estou conscientizado de que, na cidade ou (região) para onde estou me mudando com minha família, não poderei interferir em nada na obra de Deus; não atenderei nenhum serviço divino e nem freqüentarei as reuniões ministeriais, contentado-me em congregar e aguardar o movimento do senhor. Estou ciente, também, de que em virtude desse afastamento meu nome deixara de constar do relatório.

Sem mais, despeço-me com a Santa Paz de Deus, pedindo as vossas orações em meu favor e de minha família.”

30 – CARTA DE APRESENTAÇÃO

Quando se dá carta de apresentação a um irmão ou irmã, se for de bom testemunho se fará constar: “Enquanto esteve aqui conosco foi de bom testemunho”. Se não for, se não for nada se fará constar sobre seu testemunho. Sendo musico ou organista, menciona-se esse fato. Em outros casos, o ministério se comunicara entre si. Se o portador e casado, menciona-se o nome da esposa.

Inutilizar todas demais linhas, não deixando espaço em branco.

31 - CIGANOS

Os ciganos são uma nação, tem a sua própria cultura, suas tradições, porem, formam uma nação. Os ciganos não tem religião própria, tem sua cultura e tem a celebração social de casamento própria. Por não terem religião, normalmente aderem a religião do pais em que eles estão. Fazem a celebração social e geralmente se casam conforme a religião do pais.

Se o casamento foi feito por algum religioso, esse documento pode ser levado ao cartório de registro civil. Quem quiser ser batizado deverá levar o documento de casamento para o registro civil, para everbação.


32 – CONSTRUÇÕES

Para novas construções a capacidade das igrejas não deverá ser superior a duas vezes o numero dos que participam da Santa Ceia local. Em casos excepcionais, como necessidade de proporções maiores, deve-se consultar o ministério dos servos de Deus mais antigos de cada Estado.

33 – COOPERADORES DE JOVENS E MENORES – REUNIÕES

Para suprir a carência de ensinamentos os cooperadores de jovens e menores tem duas reuniões regionais anuais. Porem, só a tópicos (provenientes de São Paulo) para uniformidade da doutrina, em uma delas. Na outra, com participação direta dos cooperadores de jovens e menores, serão esclarecidas duvidas e tratados os casos que se apresentarem.

Nas reuniões que tratam de assuntos administrativos de construções e ministeriais regionais, porem, não devem participar.

34 – REUNIÕES MINISTERIAIS

Primeiramente abre-se a reunião em Nome do Senhor Jesus, canta-se um hino, faz-se uma oração e se lê a palavra. Em seguida ora-se para as necessidades como: batismo, viagens, cargos, etc. Depois, é lida a Ata da reunião anterior. Após a aprovação da Ata, inicia-se a consideração e deliberação dos assuntos submetidos a apreciação da reunião. Encerra-se a reunião com uma oração de agradecimento a Deus.

É necessário que fiquemos todos nesta linha e nesta santa tradição; alguns tem feito a oração para confirmação antes da Palavra e devem corrigir.

35 – UNÇÃO

Ao se visitar um enfermo devemos perguntar-lhe se quer ou se já foi ungido, pois já sucedeu que alguém do ministério ungiu e depois foi informado de que o enfermo já havia sido ungido uma semana antes por aquela enfermidade. Isto não repercute bem.

Outrossim, quando o servo de Deus for chamado para fazer uma unção, em hospital ou residência, deverá, sempre que possível, estar trajado com paletó; não convém ir só com camisa.

36 – PAPELETAS DE PEDIDOS DE ORAÇÃO E BLOCOS DE RECITATIVOS.

Já há diversos anos os blocos de papeletas de pedidos de oração e de recitativos vem sendo impressos pela administração nas respectivas Distribuidoras, a fim de que se mantenha a uniformidade padronizada desses impressos.

TÓPICOS ADMINISTRATIVOS.

1 – DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA – NOVA ADMINISTRAÇÃO.

A aprovação de descentralização com formação de nova Administração deve ser considerada nas reuniões de anciães que precedem as Reuniões Gerais de Ensinamentos, após parecer da regional administrativa, sempre abservando as condições necessárias para sua efetiva implantação.

2 – MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Com o objetivo de evitar-se os gastos excessivos e paralisações dos cultos por longo tempo com as reformas das casas de oração, mais uma vez se renova a necessidade dos grupos de manutenção preventiva, observando-o com todo zelo as recomendações do respectivo livro (tópico administrativo de 2010) e manual técnico, assim como, as reuniões trimestrais com o Ministério de cada Igreja. Anualmente, no período que antecede os meses de chuva em cada região, realizar de forma criteriosa a revisão dos telhados e estruturas sem, entretanto, descuidar dos demais itens.

3 – APROVAÇÃO COMPRA, VENDA, CONSTRUÇÃO E REFORMA DE IMÓVEIS.

A oração e deliberação prevista no art. 33 do Estatuto (compra, venda, doação, construção e reforma de imóveis) deverá ser submetida a aprovação em reunião regional com a presença do Conselho de Anciães, Diáconos e Administração interessada, pois é nesse momento e local que o Conselho de Anciães se reúne. Para efeitos legais essa deliberação poderá ser ratificada em cada Administração.

4 – REQUISITOS MÍNIMOS PARA NOVAS ADMINISTRAÇÕES E REGIONAIS.

A criação de novas administrações ou regionais administrativas deverá, doravante, contar com prévio parecer da Administração São Paulo, após demonstração dos requisitos mínimos para o seu funcionamento, evitando-se que estas se estabeleçam e a seguir não tenham como funcionar e atender as necessidades para as quais foram criadas, principalmente o atendimento das exigências legais e governamentais, com deslocamento de pessoas e recursos, de lugares distantes (art. 6º do Estatuto).

5- NOVO SISTEMA ADMINISTRATIVO DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL.

Desde Março de 2010 foi aprovado, pelo Conselho de Anciães, o desenvolvimento de um novo Sistema Integrado de Gerenciamento Administrativo (SIGA).

É necessário que todos os administradores acompanhem a evolução deste projeto através dos boletins informativos, que podem ser acessados no portal CCB Info.

CIRCULAR

Aos servos de Deus e á cara irmandade.

Saudamos-vos coma a Paz de Deus e afeto de Cristo Jesus.

ASSUNTO: VIGILÂNCIA QUANTO À ESPIRITUALIDADE DOS CULTOS-PERIGO DE DISSOLUÇÃO DA SUA PUREZA

Não durmamos a respeito dos santos princípios que nos foram transmitidos. Muita atenção e vigilância tornam-se necessárias. Pela inspiração do Espírito Santo o apóstolo Paulo ensinou o silencio, a decência e a ordem entre nós, quando a igreja se congrega num lugar para celebrar o santo culto a Deus (I cor.,14,v.23,25,28,34 e 40).

Preocupava-se também o apóstolo com a impressão causada aos visitantes que entrassem para assistir ao culto porque, conforme o comportamento da igreja, ou testificariam que Deus estavam entre eles, ou as visitas sairiam escandalizadas.

A ordem, a decência e o silêncio nos cultos são reflexos da espiritualidade e da luz que está no servo de Deus que preside, o qual não só maneja bem a Palavra da verdade em sua pregação, com sabia explicação de conselhos que abrem a mente do povo, como também conduz a irmandade a estar sob o controle do Espírito de Deus, para que haja moderação e luz nas orações, nos testemunhos e no comportamento de cada um durante o culto divino.

Se não for assim, os cultos transcorreram debaixo de entusiasmo carnal, exibição pessoal nos testemunhos e nas orações, exageros, gritarias infantis, sem discernimento do que é decente para a igreja de Deus; com isso dissolve-se a pureza dos cultos, ocasionando escândalos e mau testemunho.

Insistimos com nossos conservos sobre a vigilância de certos grupos de irmãos que, sem preparo espiritual, se introduzem nas igrejas e com suas manifestações concentram sobre si a atenção da irmandade, com orações, glorificações testemunhos, exagerado e gritado ao máximo de altura da voz, visando inflamar os presentes, desviando-se totalmente do sentido sacro que deve haver em nossos cultos.

Com o passar do tempo algumas igrejas estão como que habituando-se a essa rotina nos cultos, o que reflete uma dormência espiritual.

Quando o irmão do ministério que preside o culto percebe que isso vai ocorrer, deverá exortar e não deixar o culto a mercê e ao domínio desses grupos, mas exortar pelo Espírito do Senhor a que se controlem e, assim, evitará que um espírito estranho tenha ocasião de perturbar.

Há manifestação que são do Espírito de Deus e outras não. Compete ao que preside discernir o que é de Deus e o que não é, e ensinar a irmandade. Os mais antigos no ministério orientem os mais novos.

Vossos irmãos que vos amam em sinceridade de Deus.

Os anciães
INDIQUE O CCB HINOS PARA NOSSOS IRMÃOS, AMIGOS E TESTEMUNHADOS
   
Seu Nome:
Seu Email:
Pessoa indicada (nome):
Pessoa indicada (email):
Digite uma mensagem para seu amigo:
 
         


Sistema para Imobiliária

*Site não vinculado com a entidade Congregação Cristã no Brasil.

Desenvolvido por KUROLE