CCB Hinos - Topicos de ensinamentos 1996 61 Assembleia

CCB Hinos - Congregação Cristã no Brasil

Quero Gravar Meu CD (dom da música)
Enviar Hinos, Tocatas e Fotos
Notícias e Artigos da Congregação
Coloque em seu site gratuítamente

O melhor site da CCB, milhares de CDS.
Mais rápido, mais seguro com mais hinos

Portal CCB Hinos Congregação



Abaixo a lista de ensinamentos da CCB Congregação Cristã no Brasil




Tópicos de ensinamentos 1996 - 61 - Assembléia



CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

61ª ASSEMBLÉIA - 1996

61ª ASSEMBLÉIA - 1996 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 1º A 5 DE ABRIL DE 1996

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO.

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - SEPARAÇÃO E/OU DIVÓRCIO.

A irmandade deve ser esclarecida no sentido de que, segundo a Palavra de Deus, o matrimônio só pode ser desfeito se um dos cônjuges cair em adultério. Não sendo por esse motivo, não é lícita a separação e muito menos um novo casamento.

Aquele que se separar e casar novamente, não sendo por causa de infidelidade conjugal, cairá em pecado e não será mais considerado nosso irmão ou irmã na fé. No caso de haver adultério, a parte inocente estará livre para casar-se novamente, após o divórcio. Contudo, cada caso será considerado e julgado pelo Conselho de Anciães.

* 2 - HINOS QUE NÃO CONSTAM DE NOSSO HINÁRIO.

Têm chegado ao conhecimento do Ministério, gravações de hinos que não pertencem ao Hinário da Congregação. Sabemos que há irmãos habituados a compor tais hinos, outros a gravá-los e a distribuí­-los à irmandade, que, em algumas congregações, até já os têm ensaiado.

O Conselho de Anciães, considerando o assunto, deliberou lembrar a irmandade que somos um só povo, uma só família em Cristo Jesus, pelo que não devemos nos desviar

dos ensinamentos que nos foram dados pelos primitivos servos de Deus nesta gloriosa Obra.

Assim, não deve mais a irmandade se preocupar nem em compor, nem em cantar esses hinos avulsos, pois isso poderá gerar uma confusão em nosso meio, para desviar-nos da unidade e da guia que esta Obra possui desde o princípio. Além do mais, possuímos em nosso Hinário 450 hinos, alguns dos quais quase não são chamados nos cultos. A irmandade deve dedicar-se a conhecer as melodias dos nossos hinos e suas palavras, as quais nos foram dadas por revelação de Deus.

* 3 - BATISMOS DE ENFERMOS HOSPITALIZADOS.

Em muitas localidades têm acontecido casos semelhantes: hospitalizados enfermos, passando muito mal, querem ser batizados; alguns são convertidos, outros, é a família que quer que eles sejam batizados. De qualquer forma, quem deve pedir autorização aos médicos para que o doente seja batizado é a família e não os servos de Deus. Se o médico autorizar, faz-se o batismo, para que a responsabilidade não recaia sobre a Congregação.

* 4 - ENFERMOS QUE PEDEM BATISMO.

Já há ensinamento antigo de que, quando um enfermo pede batismo, deve-se atender o mais rapidamente possível, no próprio local, em um tanque portátil. Não se deve trazer enfermos graves nos batismos gerais.

* 5 - INVASÕES DE TERRAS - ADVERTÊNCIA À IRMANDADE DE ZONAS RURAIS.

O povo de Deus deve guardar-se de envolvimentos em invasões de terras. Não se devem deixar manipular por elementos que, a pretexto de fazer justiça agrária, pretendam incitar a irmandade de zonas rurais à violência e à posse ilegítima de terras.

Quem se comprometer com isso, perderá o testemnho. O que tem que ser nosso, Deus nos dará, quando for de Sua vontade. Quanto à distribuição normal de terras, deixa-se a cargo das autoridades governamentais, que estão atentas a respeito, e atuarão no tempo certo.

* 6 - CHEQUES NAS COLETAS.

Há irmãos que procuram trocar cheques por dinheiro no caixa da coleta ou na Distribuidora de Bíblias. Isto não pode acontecer em nosso meio; deve-se proibir terminantemente a qualquer membro, sem exceção. Os irmãos que recebem coletas não podem trocar dinheiro por cheques, de quem quer que seja.

* 7 - VÉUS - NOVIDADES.

Em muitas localidades estão surgindo véus diferentes dos que as irmãs sempre usaram até agora: são véus com rendas enormes, véus especiais para organistas e até véus de cores diferentes, que não são totalmente brancos. Deve-se parar imediatamente com essas novidades e permanecer na simplicidade que sempre tivemos, desde o princípio da Obra de Deus.

* 8 - ORAÇÃO PARA AGRADECER PELOS ALIMENTOS E PEDIR AS BÊNÇÃOS.

Devemos orar para agradecer a Deus e pedir as bênçãos sobre os alimentos que vamos tomar. Os alimentos devem ser abençoados por Deus antes de os ingerirmos. Pode-se orar em torno da mesa onde estão servidos os alimentos, ou em qualquer outra dependência da casa.

Onde não temos condições de orar, fazemos uma rápida oração em nossa mente.

Os servos de Deus que estão em viagem costumam orar de manhã, apresentando a Deus todos os alimentos que irão ingerir durante o dia.

* 9 - EVITAR DIZER NA ORAÇÃO: "NÃO VIEMOS AQUI PARA OUVIR O HOMEM".

Devemos evitar dizer na oração e nos testemunhos: "Não viemos aqui para ouvir o homem". O homem que se levanta para exortar a Palavra nos cultos é um vaso tomado pelo Espírito Santo, e não fa1a de si mesmo. Deixemos de usar na oração essa expressão e outras que são novidades na Obra de Deus.

* 10 - ORAÇÃO DE AGRADECIMENTOS - NÃO DIZER QUE O CULTO VAI SER ENCERRADO EM NOME DO SENHOR JESUS.

Muitos irmãos dizem na oração de agradecimentos que o culto foi aberto Em Nome do Senhor Jesus e no mesmo nome será encerrado. Não é assim. Não se encerra o santo serviço Em Nome do Senhor Jesus, mas despede-se a irmandade com as palavras que o Senhor colocar na boca do servo.

*11 - TESTEMUNHOS - PRECAUÇÕES.

Testemunhar nos cultos é render graças a Deus, exaltá-1o e relatar as maravilhas que dEle temos recebido. Não devemos relatar sonhos, nem visões ou revelações.

Também nos testemunhos não devemos atacar quem quer que seja, nem pronunciar o nome de denominações ou credos religiosos, nem contar proezas do inimigo de nossas almas. A irmandade não deve testemunhar agradecendo pela dispensa do serviço militar. O serviço militar é um dever do cidadão.

* 12 - TESTEMUNHADOS DA GRAÇA QUE TRAZEMOS PARA ASSISTIR O CULTO -­ PRECAUÇÕES.

Irmãos e irmãs que trazem para assistir o culto altas personalidades, ministros de denominações religiosas e outros testemunhados, não devem comunicar isso ao servo da congregação antes do início do serviço, nem testemunhar que os trouxeram, pois tal comportamento faz com que o servo perca a franqueza de pregar a Palavra, como também faz com que aquele que nos está visitando não receba a Palavra, notando que o servo ficou sabendo da sua presença. Podemos apresentar nossos convidados ao servo após terminado o culto.

Deve-se evitar de convidar testemunhados para assistir a Santa Ceia.

* 13 - SUICÍDIO - IRMÃOS ASSASSINADOS - SANTO SERVIÇO NO FUNERAL.

Não se faz o santo serviço no funeral para quem se suicida. Faz-se uma oração para conforto da família. O servo que for atender, deixe-se guiar por Deus. Quanto a irmãos que foram assassinados, deve-se averiguar se a pessoa tinha bom testemunho.

Houve irmãos que foram mortos por assaltantes. E temiam a Deus. Certamente o Senhor permitiu que morressem dessa forma.

* 14 - NÃO FILMAR, NEM FOTOGRAFAR E NEM GRAVAR OS SANTOS SERVIÇOS.

Não devem ser filmados, nem fotografados e nem gravados os santos serviços. Quanto a estranhos à nossa fé, devemos aconselhá-los a não fazê-lo, porém, não podemos impedir.

* 15 - PECADO DE ADULTÉRIO, FORNICAÇÃO E PROSTITUIÇÃO.

A Palavra de Deus determina: Fugi da prostituição (do adultério ou da fornicação). Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o que se prosti-

tui peca contra o seu próprio corpo. Diz a Escritura que os que tais pecados cometem ficarão de fora, não entrarão no reino dos céus. Devemos conservar brancas as nossas vestes que foram lavadas pelo Sangue do Concerto Eterno. Nossa mocidade deve, acima de tudo, andar na santidade, consagrando o seu corpo a Deus, não andando segundo o desenfreamento do mundo. Nossos jovens que vão contrair matrimônio devem, respeitosamente, aguardar o dia das núpcias para se unirem no temor de Deus.

* 16 - DOAÇÃO DE ÓRGÃOS DO CORPO HUMANO.

Somos livres para doar órgãos do nosso corpo, seja em vida, seja após o falecimento. Quanto a doar sangue, a Palavra de Deus também não proibe. Proibe ingerir o sangue ou a carne com o sangue dos animais.

* 17 - COSTUMES MUNDANOS.

O crente que quer agradar a Deus, que quer herdar a vida eterna, deve se santificar, deve se dedicar a fazer a vontade do Senhor, não se conformando com o mundo e nem com o que ele apresenta. Devemos nos apartar do mal e da aparência do mal.

Diz a Escritura Sagrada: "Todas as coisas me são licitas, mas nem todas as cousas convém" (I Cor. 10, v. 23). Todas as coisas me são lícitas mas nem todas as coisas edificam. Noutro ponto diz: "O temor do Senhor é o princípio da sabedoria".

* 18 - ORQUESTRA NAS CONGREGAÇÕES.

A maioria dos músicos em nosso meio louva a Deus, segundo o conhecimento que aprendeu nos simples livros, como a teoria musical, o Bona, o método do seu instrumento e o hinário. Nessa simplicidade Deus tem se agradado e abençoado as orquestras. Portanto, devemos permanecer assim, para continuarmos recebendo Suas bênçãos. Nossos hinos são sacros e não devem ser tocados ou cantados com ritmo alterado, passagens ou floreados.

* 19 - POLÍTICA.

Nas congregações não são admissíveis partidos de espécie alguma; cada um é livre, cumprindo o seu dever de votar, que é uma determinação da lei.

Não se deve permitir que candidatos a cargos políticos venham fazer propaganda ou visitar as casas de oração com essa finalidade.

Se algum irmão ou irmã assumir encargo político e estiver ocupando cargo ou ministério na Obra de Deus, deverá renunciar a este.

Quando alguém for convocado pela Justiça Eleitoral para trabalhar nas eleições; deverá comparecer e cumprir esse dever cívico.

* 20 - DENOMINAÇÕES.

Os servos do ministério e a irmandade, sendo abordados ou interrogados para dizer qual a posição da Congregação em questões surgidas entre as denominações, devem responder que não estão autorizados a emitir parecer sobre isso, pois nós não nos envolvemos nas questões alheias.

O ensinamento que tivemos desde o princípio é de não se falar nas congregações contra denominações religiosas, médicos, remédios, autoridades, etc.

* 21 - IRMÃOS QUE ANTECIPAM A UNIÃO ANTES DO CASAMENTO.

Irmãos que antecipam a união antes do casamento ficam sem liberdade na Congregação. Sendo músicos ou organistas, ficam sem liberdade e sem poderem tocar. Se tiverem cargo na Obra de Deus, serão destituídos.

* 22 - JOVENS QUE SE DESPEDEM NA REUNIÃO DA MOCIDADE.

Na hora dos testemunhos, concede-se a liberdade primeiramente para os jovens que vão se despedir da mocidade. Virão os moços e as moças também. Testemunham um por um e vão sentar; não há necessidade de ficar esperando o seu par. Se um dos dois não quiser testemunhar não há inconveniente algum.

Depois, concede-se a liberdade para os demais testemunharem.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SOMENTE PARA O MINISTÉRIO.

23 - HINOS NAS SANTAS CEIAS.

Os hinos serão chamados pelo Ancião que presidir a santa ceia, conforme a lista no índice do binário, até o sexto hino, que é o 394. Quando começar a distribuição, o servo que preside não precisa seguir a seqüência do índice. Poderá saltear os números.

Ao terminar cada rodada, o ancião deve dar um sinal para que a orquestra inicie a estrofe ou o coro do hino.

24 - ANDAMENTO DOS CULTOS - CANTAR O HINO E DEPOIS LER A LISTA DE BATISMOS

Logo que se encerram os testemunhos canta-se um hino e, após isso, faz-se a leitura da lista de batismos. Todos os servos que presidem os cultos devem fazer desta forma, para que haja uniformidade no andamento do serviço.

Quando houver muitos testemunhos e o horário estiver avançado, pode-se suprimir o hino e passar à leitura da lista de batismos.

Só deixamos de cantar hinos por motivo de força maior, e não por preleções que tomam o tempo do culto desnecessariamente.

25 - CELEBRAÇÃO DO BATISMO.

O Ancião que entra na água para fazer o batismo, não precisa dizer "Deus seja louvado". Quando fizer a oração, deverá colocar a mão sobre a cabeça da primeira pessoa que irá se batizada. Durante o batismo, colocará a mão sobre a cabeça de cada um que for batizando.

26 - PESSOAS QUE TENCIONAM SE BATIZAR.

- Devemos anunciar esclarecendo bem e deixar a alma se decidir, ela se deci-

de quando está convertida. Os convertidos se batizam e permanecem e os coagidos, batizam-se para agradar ao irmão ou à irmã que lhe anunciou e depois abandonam a graça de Deus.

- Há irmãos cooperadores de algumas localidades que, para haver sempre festa em sua cidade, solicitam a realização de batismo logo que uma alma começa a congregar, sem ter certeza de que esta esteja convertida.

- Outras vezes, nos serviços de batismo, os servos insistem tanto, mandam cantar muitos hinos, exortam fazendo ameaças, como que obrigando as almas a darem este passo. Isto não é conveniente.

- Nos tempos atuais os solteiros que estão no mundo, namoram e, já no namoro se relacionam intimamente; quando dizemos que os amasiados não podem ser batizados, eles não se consideram amasiados mas, sim, namorados; não sabem que estão vivendo em pecado e nós temos que esclarecê-los quanto à sua condição perante o batismo.

- Há também irmãos que, ao darem o testemunho da graça, mencionam a Obra da Piedade, dizendo que se eles se batizarem a Igreja cuidará deles; estes vêm com interesse nas coisas desta vida e não para a salvação.

- Há os que se interessam em namorar nossas irmãs e, sabendo que elas não podem se casar com estranhos à nossa fé, prontificam-se a se batizar para conseguir o seu intento. Cabe aos servos fazer essa advertência nos batismos, para que ninguém proceda desta maneira.

27 - LER E EXPLICAR APÓS O BATISMO O ARTIGO 9º DOS PONTOS DE DOUTRINA.

O artigo 9º dos Pontos de Doutrina constantes de nosso Hinário, deve ser lido nos batismos após terminado o serviço das águas. É de suma responsabilidade, pois trata das abstenções que o novo crente deve passar a observar a partir do momento em que se batizou. Portanto, devemos aguardar que retornem do vestiário em que trocaram de roupa após o batismo, para que todos ouçam e fiquemos livres de responsabilidades.

28 - BATISMO DE PRESIDIÁRIOS.­

Se a direção do presidio autorizar que se leve um tanque portátil e se faça o batismo, tudo bem; mas não se deve pedir autorização para levar o preso para ser batizado na Congregação.

29 - SEPARAÇÃO NA IGREJA DE CRISTO.

Jamais devemos pensar em separação. Qualquer ponto de divergência que, porventura, surgir, será superado com a ajuda de Deus.

Somos humanos, podemos ter alguma falha em nós, ou mesmo no ministério, mas poderoso é o Senhor para colocar tudo em seu devido lugar. Temos que orar e Deus aperfeiçoará tanto nós como a Sua Obra, pois somos um só corpo e custamos o preço de sangue de Seu amado Filho.

30 - HÁBITOS NA PREGAÇÃO QUE DEVEM SER ABOLIDOS: BATER NA TRIBUNA,­ CORRER NO PÚLPITO, PULAR E GRITAR.

Temos sempre dado ensinamentos a esse respeito, mas há servos que insis-


tem em errar nestes pontos. Muitos batem na tribuna quando pregam. Na tribuna estão os dizeres: “Em Nome do Senhor Jesus" e não é lugar para se estar batendo. Este costume deve ser abolido, pois é um desrespeito ao Nome do Senhor. A irmandade também nota isso e não aprova.

Não é necessário bater em lugar nenhum quando se exorta a Palavra. Outros correm de um lado para outro do púlpito e dão pulos enquanto pregam. Alguns batem na perna, outros batem palmas, dando um mau aspecto. E há os que exageram no falar, gritando na pregação. Esses hábitos devem acabar.

31 - INTIMAÇÕES SOBRE RUÍDOS.

Têm chegado intimações para congregações onde o ruído do microfune e da orquestra ultrapassou o limite dos decibéis permitido. Decibel é a unidade da escala que mede a intensidade dos ruídos. Casas de diversão e templos são submetidos à medição. Após algumas advertências é aplicada a punição para os reincidentes, com o fechamento das portas. Igrejas evangélicas têm sido fechadas, por não observarem essa determinação.

As congregações devem controlar o volume do som do microfone nos testemunhos e na Palavra. Deve cessar a gritaria nos cultos e as pregações em alta voz. Também o horário para o término dos cultos deve ser rigorosamente observado, para não infringir a lei do silêncio à noite.

32 - IRMÃOS DO MINISTÉRIO QUE VIAJAM PARA OUTROS LUGARES SEM MISSÃO.

Os irmãos do ministério que viajam em visita à irmandade, quer no Brasil ou no Exterior, sem que sua viagem seja missão confirmada por Deus em oração do ministério, abstenham-se de interferir na Obra e envolver-se em responsabilidades por influência da irmandade local, pois podem causar transtornos e contradições por desconhecerem o real fundamento das coisas naquele lugar, caindo em descrédito por terem tomado esta ou aquela decisão e dito esta ou aquela palavra.

Quem viajar ao Exterior, deverá comumicar-se previamente com os irmãos aqui no Brasil que atendem aquela nação, para inteirar-se das precauções devidas.

33 - COLETAS - PRECAUÇÕES.

A coleta é bíblica. Vem mencionada no antigo e no novo testamento. Rea1izamos coletas livres, voluntárias e sigilosas entre a irmandade e, por este meio, Deus tem sempre suprido Sua Obra com o necessário para compras de terrenos, construções de casas de oração, atendimento a nossos necessitados e custeio de viagens missionárias, sem dependermos de quem quer que seja. Deve ser sempre respeitada a guia de Deus no coração de quem contribui, para cada finalidade.

A irmandade deve ser ensinada a deixar-se guiar por Deus e, quando entregar a coleta, dizer qual a finalidade a que se destina, ou seja, para a Piedade, Construções, Viagens ou necessidades da Igreja.

A precaução que devemos ter, no tocante às coletas, é não coagir a irmandade a contribuir. Não organizar listas impondo que a pessoa contribua com quantias estipuladas, nem recolher a coleta sobre a tribuna ou o púlpito, nem usar caixas de papelão para serem lançadas as ofertas, ou modalidades semelhantes, contrárias à doutrina. Os frutos devem ser dados nas mãos dos irmãos recebedores de coletas.

O Senhor Jesus nos recomendou que a oferta de cada um seja dada em oculto, dizendo: "e teu Pai, que vê em segredo, te recompensará publicamente".

34 - DEPENDÊNCIAS PARA OS COMODATÁRIOS NAS CASAS DE ORAÇÃO.

Em muitas congregações que se constroem, as casas dos comodatários são pequenas, sem conforto e sem segurança, fazendo com que muitos se mudem, depois de pouco tempo. Quando se construirem as casas de oração, deve-se atentar para que as dependências dos comodatários tenham o conforto e a segurança necessários.

35 - APRESENTAÇÃO DE PORTEIROS - CONSIDERAR PREVIAMENTE COM OS DIÁCONOS.

A apresentação de porteiros para as congregações deve ser feita com o prévio conhecimento dos irmãos diáconos.

A responsabilidade dos porteiros é grande, pois lidam diretamente com a irmandade e recebem as coletas. Portanto, não devem ser apresentados para porteiros irmãos novos na fé, nem irmãos que estejam desempregados ou em situação financeira complicada.

Para colocar porteiros o ministério local se reune, indica-os e ora para que Deus os abençoe.

Não se ora para esperar resposta.

36 - REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS - PORTARIA.

Devido ao grande crescimento da Obra de Deus em quase todas as regiões do Brasil e ao grande número de servos que comparecem às reuniões regionais, é aconselhável que sejam colocados, nas entradas, membros da Administração (ou irmãos indicados pelo ministério), para identificar aqueles que comparecem, evitando, dessa forma, que algum estranho ao ministério possa ingressar nas reuniões.

Lembramos que todos os servos autorizados a participar das reuniões possuem cartão de identificação.

37 - ALTERAÇÕES NO RELATÓRIO.

Alertamos aos servos de Deus que todas as alterações que se pretenda introduzir no Relatório, deverão ser previamente aprovadas em reunião ministerial local e, depois, comunicadas à Administração São Paulo em impresso próprio, devidamente assinado pelo (s) Ancião (ões) responsáve1(eis).

38 - CUIDADOS ESPECIAIS NAS VIAGENS DE ATENDIMENTO À OBRA DE DEUS.

Em decorrência do aumento de acidentes vitimando os servos de Deus, é recomendável que as viagens sejam efetuadas de preferência de avião ou ônibus. Entretanto, se a viagem for através de automóvel, recomenda-se observar o seguinte: 1° - Examinar as condições do veículo; 2° - Observar o limite de velocidade permitido nas estradas; 3° - Dirigir ou viajar em condições fisicas adequadas; 4° - Viajar, sempre que possível, durante o dia, e em condições climáticas


favoráveis; 5º - Não viajar com excesso de pessoas e de bagagens; 6º - Programar as viagens com tempo suficiente para a permanência e o retorno; 7º - Manter em dia seguro de vida, cobertura do INSS e seguro do veículo. (Se a viagem for para o Exterior, comunicar previamente à companhia seguradora para a cobertura adicional).

39 - APRESENTAÇÃO DE COMODATÁRIOS (MORADORES) NAS CASAS DE ORAÇÃO.

Para se apresentar e colocar comodatários (moradores) nas casas das congregações, não se ora esperando confirmação. O ministério local aponta o casal e considera o assunto; depois, ora para que Deus os abençoe e os coloca. Faz-se o contrato de comodato, como sempre tem sido feito.

40 - FICHAS PARA APRESENTAR IRMÃOS (ÃS) PARA O MINISTÉRIO.

Os Anciães só assinam a ficha se conhecerem o irmão ou irmã que está sendo apresentado.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - REUNIÃO DE ENSINAMENTOS.

É conveniente que o atendimento desta reunião fique a cargo do irmão diácono que foi para essa finalidade. Se outro irmão diácono for falar, deverá tomar o devido cuidado para não repetir e nem desfazer o que já foi dito. Algumas reuniões têm sido muito prolongadas; há servos que pregam durante mais de uma hora, outros contam testemunhos e ainda insistem para que outros se levantem.

2 - REUNIÃO DE ATENDIMENTOS.

Esta reunião não deve ser realizada após o culto ou à noite; deve ser feita durante o dia. Nesta reunião não há pregação da Palavra, a fim de não ser muito prolongada, evitando assim que as irmãs cheguem tarde em suas casas.

3 - ATENDIMENTOS FEITOS PELA IRMANDADE.

Muitos irmãos, às suas expensas ou com a colaboração de outros, angariam roupas e alimentos e viajam para várias cidades do Brasil, fazendo a distribuição para a irmandade carente. Essa dedicação é uma boa coisa, mas, como a distribuição é feita indiscriminadamente, tem causado murmuração por parte da irmandade, pois algumas famílias sem necessidade são atendidas e outras que necessitam, não o são. O correto é, ao chegar à cidade, procurar o irmão diácono que atende a região e entregar o que Deus preparou, para depois serem feitos os atendimentos com a Guia de Deus.

4 - FICHA DE APRESENTAÇÃO DE CASO (PRONTUÁRIO).

O preenchimento dessa ficha deve ser o mais correto possível, devendo, num


breve relato, constar os dados necessários sobre o necessitado, sobre a situação e sobre a causa da necessidade apresentada. Nessa ficha não deve constar se tem ministério, cargo ou função na Obra de Deus. Na ficha, a fim de não haver comprometimento fisico ou moral, também não deve constar se na familia existe a1guém que é viciado, marginal, de vida irregular, etc.

5 - PAGAMENTO DE DÍVIDAS.­

Não é da competência da Obra da Piedade assumir compromisso para pagar dividas com internação hospitalar, prestação de aquisição de imóvel, aluguel, compra de veículo, impostos, consumo de água e luz, aquisição de utensilios domésticos, etc., quer seja de um simples irmão ou de irmão com ministério.

6 - SALÃO PARA COSTURA.

Não deve haver salão para costura nas dependências da Congregação, mas, apenas um local onde se cortam os tecidos e se faz a distribuição para as irmãs levarem para costurar em suas casas e, também, se recebe o que foi costurado. Nas congregações onde já se encontram instalados os salões, continua o funcionamento.

7 - DIÁCONOS E PORTEIROS QUE NÃO TRABALHAM (OU DESEMPREGADOS).

Na congregação que tiver um irmão diácono ou porteiro que não trabalha (ou esteja desempregado), sem condições de sobrevivência, este não deve ficar na porta recebendo coletas, a fim de evitar murmuração por parte da irmandade, com prejuízo para o resultado das coletas.

8 - RESPEITO.

Deve haver respeito e consideração mútua entre o irmão diácono e as irmãs da Obra da Piedade. As irmãs devem ser submissas ao diácono e este, por sua vez, não deve ser autoritário, mas tratar com respeito. Todos são servos de Deus. Em tudo deve prevalecer a humildade.
INDIQUE O CCB HINOS PARA NOSSOS IRMÃOS, AMIGOS E TESTEMUNHADOS
   
Seu Nome:
Seu Email:
Pessoa indicada (nome):
Pessoa indicada (email):
Digite uma mensagem para seu amigo:
 
         


Sistema para Imobiliária

*Site não vinculado com a entidade Congregação Cristã no Brasil.

Desenvolvido por KUROLE