CCB Hinos - Igreja evangelica e berco de musicos eruditos

CCB Hinos - Congregação Cristã no Brasil

Quero Gravar Meu CD (dom da música)
Enviar Hinos, Tocatas e Fotos
Notícias e Artigos da Congregação
Coloque em seu site gratuítamente

O melhor site da CCB, milhares de CDS.
Mais rápido, mais seguro com mais hinos

Portal CCB Hinos Congregação



Igreja evangélica é berço de músicos eruditos

Igreja evangélica é berço de músicos eruditos


Foi nos bancos da igreja evangélica Congregação Cristã no Brasil que o violinista Davi Graton, 30, teve as primeiras lições de música. "Comecei a tocar para servir a Deus, não pensava em seguir carreira", diz Graton, que hoje é concertino da Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), considerada a melhor do país. Como Graton, muitos integrantes de orquestras paulistas começaram a aprender música na Congregação e na Assembléia de Deus, igrejas que mais formam instrumentistas, segundo maestros e professores ouvidos pela Folha. Louvar o Senhor é justificativa comum nas fichas de inscrição da Escola Municipal de Música. "Tem aluno que entrou sem ter ouvido Mozart, só conhecia música de igreja", afirma o diretor Henrique Autran Dourado. Selecionado para a Academia de Música da Osesp, o violinista Djavan dos Santos, 22, atribui seu talento à inspiração divina. "Orei e aprendi em um estalo o que não consegui em meses." Santos e os outros dois violinistas da Academia são da Congregação, apesar de a doutrina vetar a profissionalização. Segundo um documento da igreja, o fiel que trabalha como músico não pode tocar nos cultos. "Aos que já estão nessa profissão, aconselhamos orar para que Deus lhes prepare um outro meio de vida", diz o texto. "Músicos profissionais ficam com o espírito transtornado", reforça um dos regentes da igreja, José, que não quis informar o sobrenome. Já a Assembléia de Deus apóia os fiéis. "É uma honra ter nossos músicos nas orquestras. Só é proibido tocar na noite", afirma Sérgio Emídio da Silva, 38, maestro em um templo. Perto de Deus A música foi a única expressão artística preservada pela Reforma protestante (século 16), que aboliu a representação de pessoas e animais, considerada idolatria. Para os protestantes, a música aproxima de Deus. "Sobretudo um deus que não está presente nas coisas, como o cristão", explica o sociólogo e professor da USP Antônio Flávio Pierucci. Segundo ele, os pentecostais (corrente do século 20) "radicalizaram a autorização bíblica para transformar salmos em hinos". Na Congregação e na Assembléia, que têm orquestras com até 200 integrantes, os hinos são tão importantes quanto a pregação. Para a professora de música da Unesp (Universidade Estadual Paulista) Dorotéa Kerr, a musicalização natural do ambiente protestante explica o sucesso dos músicos. "O aprendizado informal supre a deficiência do ensino da igreja." Na Assembléia, no entanto, o ensino se profissionaliza. Há quatro anos, uma igreja em Perus (região norte) mantém uma escola de música. Os alunos pagam mensalidade de R$ 10, e a igreja empresta instrumentos. Já na Congregação, ensina-se "o suficiente para louvar", afirma o regente José. O suficiente bastou para que o violinista Kleberson Buzo, 26, fosse aprovado na seleção da Escola Municipal de Música. "Na audição, toquei a única composição que sabia, um hino religioso", conta Buzo, que toca na Orquestra Experimental de Repertório, do Teatro Municipal, onde a maioria dos violinistas tem currículo parecido com o dele: tiveram as primeiras lições em igrejas e depois estudaram em escolas públicas. No Centro de Estudos Musicais Tom Jobim, mantido pelo governo do Estado, os alunos pentecostais são numerosos. "É perceptível. Não temos dados porque o credo dos músicos não importa", afirma o diretor Arcádio Minczuk, 42. Baseado em sua biografia, Minczuk, oboísta da Osesp, considera a música um meio de ascensão social -o salário do músico erudito chega a R$ 5.000. "Meu pai determinou que eu aprendesse oboé, pouco tocado, para que fosse mais fácil conseguir emprego", conta Minczuk, que, como seu irmão Roberto, diretor da Orquestra Sinfônica Brasileira, no Rio de Janeiro, aprendeu música na Assembléia de Deus Russa.


Fonte:
Folha de São Paulo

Postado em: 16/05/2008 | 14:09:34

VOLTAR

Comentários
  Nome: Luana Em: 21/07/2013 | 16:36:27 E-mail: - luana@ig.com.br
Comentários:
Se o intuito e financeiro porque já não estuda em conservatório,pois o o dom da música e especial, se é para louvar a Deus vamos honrar o compromisso ,não há proibição de se aprimorar nos estudos mas usar o estudo da CCB que é gratuito para outros fins ,caros irmãos pensem antes de estudar a música junto com os membros da CCB uma orquestra aonde rege a parte espiritual!!

Responder para: Luana

 
  Nome: Violinista CCB Em: 15/04/2013 | 22:31:54 E-mail: -
Comentários:
Acho uma grande ignorância (falta de conhecimento) essa proibição!Isso tudo é norma religiosa o que devemos mesmo fazer é seguir o Santo Evangelho de Jesus (A graça de Deus).Devemos estudar muito a música se poder pagar professores,entrar em conservatórios…;será sem dúvida muito proveitoso tanto na vida profissional como na graça!Temos projetos aqui em São Paulo que ensinam música de graça como o Projeto Guri que tem professores muito bons.Temos também muitos músicos profissionais da CCB como Nelson Gama,Claudio Cruz,Nadilson…Temos é que abrir a cabeça!Deus os abençõe!

Responder para: Violinista CCB

 
  Nome: alexssandro denny Em: 19/07/2011 | 03:21:07 E-mail: - alexssandro.denny@hotmail.com
Comentários:
bom !é sempre melhor aprender a musica! mais de uma coisa tenho que falar ! primeiramente a paz de deus para todos que leem esta!

eu fui muito perçiguido pelo meu regional e aprendi
a tocar flauta transversal na internet com os melhores professores em especial sir james galway e dou um conselho para quem gosta de aprender mais a respeito
de flauta bom ! vamos ao assunto:

é sempre bom a aprender a musica mais acho que
profissionais devem sim tocar nas igreja apenas ele almejou a aprender mais isso é natural de todo o ser humano :

mais não devemos desrespeitar o encarregado regional ou local
lembre-se a obra deus o que prevalesse é a humildade em especial

me aad no msn que esta nesta apdd para todos

19/07/11

Responder para: alexssandro denny

 
  Nome: Helisson fiebig Em: 10/05/2010 | 00:47:24 E-mail: - Hellisson07@gmail.com
Comentários:
A paz de Deus! Sou um músico da Congregação aqui na região de Belo Horizonte. Atualmente faço aulas particulares e faço cachês na Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e outras orquestras com o intrumento oboé. Sinceramente, não me sinto acusado de tocar em orquestras. O maior perigo para quem deseja se profissionalizar na música é começar a "se achar". Quando tocamos com humildade sem criticar os que tocam somente na igreja, tudo vai muito bem!

Responder para: Helisson fiebig

 
  Nome: Josué Sena Em: 16/03/2010 | 04:39:54 E-mail: - josue-sena@bol.com.br
Comentários:
Sou musico da CCB e aprendi o básico na igreja, mas para mim não era o suficiente, não desprezando os irmãos que me ensinaram a música.
Depois que comecei a tocar nos cultos oficiais algo em mim não estava legal, eu tinha um desejo enorme de cursar música numa faculdade ou conservatório.
Então orei a Deus e corri atrás dos melhores professores de trompete da cidade de Guarulhos e São Paulo.
Para mim foi muito gratificante estudar música de verdade, aprendi como se deve tocar um instrumento com virtude.
Já toco em várias orquestras da cidade e em diversas formações, simplismente pedi para o Senhor e ele me abençoou nos estudos.
Mas uma coisa aprendi: Não misturar as coisas, não humilhar aqueles que não possui nenhum conhecimento musical, ser sempre humilde, respeitar as pessoas, respeitar o Encarregado de orquestra, o ministério e jamais achar que é o dono do mundo.
Eu amo a música e ainda estudo muito, corro atrás de meus objetivos.
O ministério jamais pegou no meu pé por esse motivo, e na minha comum também tem grandes músicos profissionais, e são excelentes servos de Deus.
Na minha opinião a Congregação deve sim incentivar
o jovem estudar a música em outros locais, pois no futuro a igreja pode tirar proveito de tudo isso. Com encarregados mais preparados, regionais mais entendidos de música e são vários os exemplos, basta seguir.
Ser um musico profissional não é crime, é simplismente uma profissão como qualquer outra, que deve ser levado a sério.
Jamais deixarei de ser um servo de Deus por qualquer outro motivo, primeiramente as coisas de Deus.
Bom fica aí o meu recado, espero que todos entendam o meu ponto de vista.
MÚSICA É VIDA. ESTUDE MÚSICA.

Responder para: Josué Sena

 
  Nome: Marcela Almeida Em: 01/02/2010 | 09:17:48 E-mail: - marcelaalmeida1950@hotmail.com
Comentários:
A paz de DEUS meus irmãos!
Também acho que os irmãos oficializados ou aprendizes não devem tocar seus instrumentos como forma de ganho pessoal e nem para agradar ninguem com musicas mundanas. Mas sim somente para louvar a DEUS. Pois Cristo merece toda honra, louvou e glória para todo o sempre. Amem.

Responder para: Marcela Almeida

 
  Nome: gabriel Em: 25/12/2009 | 18:43:12 E-mail: - almeida_20_99@hotmail.com
Comentários:
apdd!!!!
sou da ccb, comesei a aprender a musica na congregação, mas sempre fiz aula particular.
esses dias toquei em um casamento perto de casa e meu coperador fico sabendo e disse pra mim num tocar + em casamentos!!!
alguem ja passo por esse processo???
t+

Responder para: gabriel

 
  Nome: gabriel Em: 28/12/2009 | 08:57:09 E-mail: - almeida_20_99@hotmail.com
Comentários:
apdd!!!!
sou da ccb, comesei a aprender a musica na congregação, mas sempre fiz aula particular.
esses dias toquei em um casamento perto de casa e meu coperador fico sabendo e disse pra mim num tocar + em casamentos!!!
alguem ja passo por esse processo???
t+

Responder para: gabriel

 
  Nome: luis carlos camargo Em: 16/09/2009 | 22:12:43 E-mail: - kakocamargo@hotmail.com
Comentários:
sou menbro da congregação. e acho que a musica e um meio de espresar os nossos sentimentos de nossa alma ,e esqueser muitos de nossos ploblemas e ligar nosso pensamento com DEUS . DEUS que abençoe a todos.

Responder para: luis carlos camargo

 

« Anterior - [ 1 ] - Próxima »

 

Veja abaixo alguns produtos para irmãos e irmãs

 
Véu Quadrado Largo
R$ 71,50
Véu Redondo para Mocinha
R$ 51,50
Véu Quadrado Infantil
R$ 35,10
Renda Média
R$ 48,60
Renda Média
R$ 84,72
Véu Redondo Renda Larga
R$ 71,50
Renda Larga
R$ 93,12
Véu Redondo para Mocinha
R$ 51,50
Renda Média
R$ 50,00
Renda Média
R$ 44,54
Renda Média
R$ 86,12
Renda Média
R$ 86,12
 
INDIQUE O CCB HINOS PARA NOSSOS IRMÃOS, AMIGOS E TESTEMUNHADOS
   
Seu Nome:
Seu Email:
Pessoa indicada (nome):
Pessoa indicada (email):
Digite uma mensagem para seu amigo:
 
         


Sistema para Imobiliária

*Site não vinculado com a entidade Congregação Cristã no Brasil.

Desenvolvido por KUROLE