CCB Hinos - Como Surgiu a Congregacao Crista no Brasil

CCB Hinos - Congregação Cristã no Brasil

Quero Gravar Meu CD (dom da música)
Enviar Hinos, Tocatas e Fotos
Notícias e Artigos da Congregação
Coloque em seu site gratuítamente

O melhor site da CCB, milhares de CDS.
Mais rápido, mais seguro com mais hinos

Portal CCB Hinos Congregação



Como Surgiu a Congregação Cristã no Brasil


Este fiel testemunho da obra do nosso Senhor teve início na cidade de Chicago, Illinois e não é para engrandecer aquele que o escreve, porém, para a glória de Deus que opera todas as coisas, segundo o conselho de sua vontade.(Efésios 1:11)


Eu, Louis Francescon (Luigi Francescon), nasci em 29 de março de 1866, na comarca de Cavasso Nuovo, prov. De Udine (Itália) de profissão mosaísta.Vim para a América do Norte, depois de ter cumprido o serviço militar, chegando a 3 de março de 1890.


No mesmo ano, ouvi o evangelho por meio da pregação do irmão Miguel Nardi.Em dezembro de 1891 tive do Senhor a compreensão do novo nascimento.


Em março de 1892, com o grupo evangelizado pelo irmão M. Nardi e algumas famílias da fé “Valdense” foi criada nesta cidade a primeira igreja presbiteriana Italiana, sendo o Sr. Filippo Grilli, pastor.Eu fui eleito um dos três diáconos, e após alguns anos, ancião.


No princípio do ano de 1894, encontrando-me em Cincinate, Ohio, em serviço material, aconteceu que, estando numa noite de joelhos em meu quarto lendo o cap. 2 da carta aos Colossenses, ao chegar no verso 12 ouvi uma voz que me repetiu 2 vezes: ”Tu não obedeceste a este meu mandamento”.Então respondi: ”Senhor jamais alguém me falou neste assunto”.


Em 1 de Janeiro de 1895, casei-me com Rosina Balzano salva também em nosso meio em princípio de 1892.


Como membro da administração da referida igreja, falei do batismo determinado nas escrituras e como o Senhor me ordenou obedece-lo.Todos se manifestaram contra mim, inclusive o pastor, ao qual eu tinha manifestado por carta que o Senhor me havia falado.


No ano de 1898, o Senhor salvou o irmão Giuseppe Beretta por meio dos metodistas livres americanos, o qual após algum tempo, uniu-se conosco, presbiterianos italianos.


Falei-lhe também muitas vezes, do citado batismo, mas no momento não lhe era dado compreender.Em princípio de setembro de 1903 nos encontramos em Elgin, ILL, (no local onde eu e o irmão G. Marin estávamos executando um trabalho), lhe falei novamente em presença deste, da necessidade de obedecer ao mandamento do nosso Senhor.


Então servindo-se Deus de outros meios, convenceu-se e 2 dias após, fez-se batizar mesmo em Elgin, por um irmão americano pertencente à igreja dos irmãos.Na ocasião lhe disse: Irmão Beretta, agora que sois batizado na próxima segunda-feira, dia 7 que é dia do trabalho, batizar-me-ás também.


Como o pastor se encontrava na Itália, competia a mim como ancião, presidir o serviço que se realizava no domingo, dia 6. Assim tive oportunidade de dizer ao povo o que eu sentia em meu coração e lhes falei: Após 9 anos que o Senhor me falou em obedecer ao Seu mandamento, amanhã com a ajuda de Deus, terei a oportunidade de obedecê-lo e se algum de vós quiser assistir venham ao Lake-front, de Chicago, em tal lugar às tantas horas.Vieram cerca de 25, dos quais, 18 obedeceram juntamente comigo.Fomos imersos pelo irmão G. Beretta.


Pouco tempo depois, o pastor (F. Grilli) voltou da Itália e no 1 domingo que nos reunimos, disse-lhe que eu desejava dirigir algumas palavras à irmandade antes de seu sermão, o que me foi concedido.Primeiramente perguntei a todos se eu havia feito alguma coisa errada, que testemunhassem; responderam que nada havia contra mim.Então exortei-os que, se quisessem ser participantes das promessas de Deus, seria necessário obedecê-lo conforme Sua palavra.Em seguida apresentei minha demissão de ancião, secretário e membro daquela igreja.Todos se maravilharam e pediram para que eu não os deixasse e eu lhes respondi que aquela decisão não era por mim premeditada, mas sim ordenada, por Nosso Senhor.


Aconteceu também, que aqueles que comigo obedeceram ao mandamento, quiseram abandonar a igreja, o que não julguei conveniente fazerem, todavia o fizeram.Foi necessário então, que nos reuníssemos em vários lugares pela necessidade dos que não sabiam ler.


Assim a primeira reunião foi em casa do irmão ancião N. Moles, na qual, eu fui eleito ancião.Nessa mesma ocasião, propuz os irmãos G. Beretta, e P. Menconi para dirigirem o serviço uma semana cada um; depois de algumas noites decidiu-se reunir em minha casa.


Em 2 de dezembro de 1903, embarquei para a Itália em visita à minha família.Regressando a Chicago em princípio de maio de 1904, encontrei estes irmãos cheios de si, e em contendas sem fim.Não sabendo como proceder resolvi pedir conselho ao Senhor e Ele respondeu que me separasse deles até que Ele (o Senhor) determinasse unir-me a eles novamente.Isto foi em outubro de 1904, separando-se comigo também as famílias N. Moles, Alberto di Cicco e alguns outros, nos reuníamos de casa em casa nos dias estabelecidos, e todos os domingos partia-se o pão, recordando a morte do Nosso Senhor.


Eis alguns dos preliminares da grande obra que o Senhor fez pelo Espírito Santo, na colônia Italiana.


Em fins de abril, de 1907, o Senhor me fez encontrar com um irmão americano, um dos primeiros a receber a promessa do Espírito Santo, em Los Angeles, no ano de 1906 e, por meio dele soube que na W. North Ave, 943, havia uma missão que anunciava a promessa do Espírito Santo e que o próprio pastor (W.H. Durham) a havia recebido.Na primeira semana freqüentei sozinho aquele serviço e o Senhor me confirmou que aquela era Sua obra.No domingo seguinte me acompanhou o resto do grupo.


No mês de Julho, a minha esposa foi a primeira a ser selada com o dom do Espírito Santo, falando em língua Sueca e a irmã Dora di Cicco foi a segunda falando em língua chinesa.Em 25 de agosto o benigno Senhor se comprazeu selar a mim também.


No dia 14 do mesmo mês, veio também o irmão Giovanni Perrou e perguntei-lhe se conhecia o evangelho e ele respondeu-me haver nascido no evangelho; perguntei-lhe também se tinha em si mesmo testemunha de ser salvo, e ele respondeu-me que não sabia, então o exortei a pedir perdão a Deus de todo o seu coração e depois buscar a promessa do Seu Espírito Santo; ele obedeceu prostrando-se de joelhos e naquele momento, o Benigno Senhor o lavou com Seu Sangue, e também o selou com a promessa do seu Espírito Santo.


Naquele momento se achavam presentes os irmãos G.Marin e A. Lencioni, tendo esse último se manifestado contrário; entretanto vendo como o Senhor operava sobre o irmão G. Perrou, seu conhecido, convenceu-se e buscou também a face do Senhor.


No inesquecível dia 15 de setembro do mesmo ano, na casa de oração da W. Grand Ave, 1139, o Senhor se manifestou no irmão A. Lencioni, e muitos dos presentes julgando que ele não se encontrasse em si, formaram um ambiente confuso por não discernirem a obra de Deus.Dois dos presentes vendo isso, vieram me chamar dizendo que fosse depressa onde eles se encontravam reunidos; antes de sair orei ao senhor que me determinou ir.Ao entrar naquele local, o Senhor me abriu a boca para falar no poder do Sangue do concerto eterno, e que só por Ele se pode permanecer em pé, na presença de Deus e obter as suas fiéis promessas.Imediatamente o Senhor se manifestou com a sua presença, selando os irmãos P. Menconi, A. Andreoni, A. Lencione e outros, e as maravilhas de Nosso Senhor, foram conhecidas e manifestadas a todos quantos vinham vê-las e o senhor convencia e os selava, jovens e velhos, e entre esses os irmãos G. Marin e Umberto Gazzari.


Quando voltei a congregação de W. Grand Ave, o irmão P. Ottolini abria o serviço e P. Menconi presidia.No terceiro serviço que tivemos, sucedeu que enquanto o irmão P. Menconi subia ao púlpito, o irmão P. Ottolini (guiado pelo Espírito Santo) falou em alta voz: “Irmão Menconi, pare; o Senhor me disse que enviou em nosso meio o irmão Louis Francescon (Luigi Francescon) para nos exortar”.E o irmão P. Menconi foi confirmado por Deus para ficar sentado no momento, depois também Deus se serviria dele.


E foi assim que, novamente, ocupei o lugar de ancião nessa igreja até 29 de junho de 1908.


Em fins de outubro, o Senhor enviou minha esposa a Los Angeles, Cal., a fim de dar o testemunho da promessa a família do irmão N.Moles, que residia naquela cidade à cerca de um ano antes da manifestação do Espírito Santo, resultando assim que também alguns deles foram selados e então se uniram com os irmãos americanos que ali, habitavam.Nessa ocasião recebemos a visita de alguns irmãos de Hulberton N. Y., que ouviram como o Senhor tinha operado em nosso meio.Após alguns dias foram também selados e voltaram as suas residências com essa confirmação em seus corações.Pouco depois vinha também o irmão G. Beretta que recebeu o dom de Deus.


Em princípios de dezembro o Senhor falou pela minha boca, dizendo: “Eu o Senhor, permaneci no meio de vós e se me obedecerdes e fordes humildes Eu mandarei convosco todos que devem ser salvos. Vos terei unidos por um pouco de tempo a fim de vos preparar, para depois mandar alguns de vós em outros lugares para recolher outras minhas ovelhas.Este é o sinal que vos dou para confirmar que vosso Deus é que vos falou.Este local será pequeno para conter as pessoas que chamarei.”


Logo depois dessas profecias um irmão sentiu-se de comprar mais 60 cadeiras, para juntar às existentes.


No domingo seguinte, todas as cadeiras foram ocupadas permanecendo algumas pessoas em pé.


Em princípios de janeiro de 1908, foi realizado um batismo para estes últimos e cerca de 70 obedeceram ao mandamento do Senhor.Depois o Senhor fez muitas curas milagrosas de doenças crônicas e incuráveis; desses casos citamos aqui 4 nomes: G. Lombardi, P. de Stefano, Lúcia Menna e Fidalma Andreoni.


O Senhor permitiu, entretanto que passássemos duras provas e perseguições, mas não fazíamos caso delas, porque a graça de Deus abundava em nossos corações e as suas promessas eram fiéis.


Em março do ano seguinte o Senhor fez saber a mim e ao irmão G. Lombardi que deixássemos os nossos trabalhos materiais, para nos dedicarmos inteiramente à obra que ele nos havia preparado; ambos nos encontrávamos em má situação financeira e cada um com 6 filhos menores;entretanto não tememos, certos de que o Senhor protegeria nossas famílias.


Essa revelação nos foi confirmada por meio do dom de interpretação de linguagem e isto muito nos consolou, dispondo-nos inteiramente à vontade do nosso Senhor.


Em 4 de setembro, por santa revelação e bem confirmado, embarquei de Chicago para a cidade de Buenos Aires, com o irmão G. Lombardi e Lucia Menna. Após algumas semanas eu e o irmão G. Lombardi fomos convidados pela família Michelangelo Menna, a ir a sua casa em San Cagetano, província de Buenos Aires, onde o Senhor operou das suas maravilhas.Em princípios de janeiro de 1910 voltei com o irmão G. Lombardi na cidade de Buenos Aires, onde foi aberta uma porta para a obra do nosso senhor, e também num subúrbio chamado Tigre.


Em 8 de março de 1910, por determinação do senhor, partimos direto a São Paulo (Brasil).No segundo dia de nossa chegada, divinamente guiados, encontramos no jardim da luz um italiano chamado Vicenzo Pievani (ateu) morador em Sto. Antônio da Platina, Paraná, e lhe falamos da graça de Deus.


Dois dias após, V. Pievani voltou a Sto. Antônio da Platina, e nós permanecemos em São Paulo até 18 de abril, quando então por vontade de Deus, o irmão G. Lombardi, partiu para Buenos Aires e eu para Sto. Antônio da Platina.Chegando aquele lugar, encontrei 2 italianos um dos quais era V. Pievani e o outro Felício A . Mascaro; sendo suas esposas e demais moradores daquele lugar brasileiros e de fé católica romana.


Para ir ao lugar onde o Senhor me ordenara, eu não tinha nenhum endereço a não ser o seguinte: V. Pievani, Sto. Antônio da Platina, Paraná.Havia só uma estrada de ferro que levava ao sul daquele estado, porém, Sto. Antônio da Platina achava-se ao norte e distante mais de 200 Km da estação mais próxima.


Meu coração duvidava em tomar aquela estrada, porém, me senti de ir a estação e consultar o mapa e o Espírito Santo me indicou a tomar a estrada de ferro sorocabana que percorria o estado de São Paulo, passando perto do norte do Paraná e sua última estação era Salto Grande.


Parti de São Paulo às 5:30 h, com uma terrível dor lombar que me impediu tomar alimento durante todo aquele dia.Cheguei a Salto Grande às 23 h e nesse lugar o Senhor me disse ter preparado tudo para mim, a fim de cumprir minha missão; e assim aconteceu, porém faltavam cerca de 70 km a cavalo, atravessando matas virgens infestadas de Jaguarás e outras feras existentes no lugar.Pela graça de Deus fiz esse resto de viagem com um guia indígena, chegando em Sto. Antônio da Platina, em 20 de Abril.


Outra dificuldade que encontrei foi não conhecer uma palavra do idioma português, e achar-me sem dinheiro e doente; Deus, porém, que tem todos os corações em suas mãos, me fez ver a primeira maravilha: ao chegar naquele local, encontrei na janela a esposa do italiano V. Pievanti tendo o senhor lhe dito: “Eis o homem que Eu vos enviei”.(note-se que eu não era lá esperado).Assim fui recebido em sua casa e poucos dias depois, o Senhor comprazeu-se em abrir seus corações e de mais 9 pessoas.Foram batizadas na água 11 pessoas e confirmadas com sinais do Altíssimo.


Estas foram as primícias da grande obra de Deus naquele país.


Logo após o inimigo procurou trabalhar para desfazer aquela obra mas, foi em vão o seu trabalho.


O resto do povo daquele lugar sabendo da minha chegada e da minha missão, juraram matar-me, tendo como chefe um sacerdote.Isto teria sucedido se Deus não interviesse com seus meios.O Senhor me fez saber de permanecer lá até 20 de junho; nessa prova eu estava pronto a me entregar aos inimigos a fim de poupar a vida aos poucos crentes que o senhor havia chamado.Deus é testemunha disso, como também os irmãos que lá vivem.


Parti de Sto. Antônio da Platina, em 20 de junho, com destino a São Paulo.Apenas chegando aquela capital, o Senhor permitiu abrir uma porta resultando que cerca de 20 almas aceitaram a fé e quase todas provaram a divina virtude.Uma parte eram presbiterianos, outra batistas e metodistas e alguns católicos romanos.Alguns foram curados e outros selados com o bendito dom do Espírito santo.


Até agora o Senhor me enviou 9 vezes ao Brasil, e todas as vezes tenho notado maior progresso no meio deles, quer espiritual, quer material.


Eis como o benigno Deus começou a Sua obra.Pelo batismo da água, segundo o mandamento do senhor Jesus, fomos tirados das seitas humanas e de suas teorias; pelo Dom do Espírito Santo ela foi animada e engrandecida, nada mais havendo necessidade de acrescentar, pois os resultados falaram e ainda falam desta maravilhosa obra feita pela potente mão de Deus e só a Ele seja dada toda honra e glória por Jesus Cristo, Bendito em Eterno.


Amém.

Postado em: 28/11/2009 | 16:18:29

VOLTAR

Comentários
  Nome: Almeida Em: 23/08/2014 | 12:18:50 E-mail: - Paulosax30@gmail.com
Comentários:
Deus por nóooooooossss,Tem grande Amor .

Responder para: Almeida

 
  Nome: yasmim Em: 08/05/2014 | 16:36:38 E-mail: - c yasmim-@ling-.com
Comentários:
paz de deus irmãos gostei muito da comcregacao cristan no brasil

Responder para: yasmim

 
  Nome: mateus Em: 07/04/2014 | 22:21:44 E-mail: - m.fds2010@HOTMAIL.COM
Comentários:
AMADOS SOU FELIZ EM CAMINHAR NESTA DOUTRINA, ENTÃO NÃO PARE POR COISA ALGUMA DESTA VIDA.

Responder para: mateus

 
  Nome: Leandro Porto Em: 05/03/2014 | 10:44:07 E-mail: - prio_lep@hotmail.com
Comentários:
A "Vida Eterna só Deus Concede" seja na Congregação Cristã no Brasil ou qualquer outra denominação desde o início dos tempos até os dias atuais. Não cabe a nós simples mortais julgar, não é com meu sangue nem com o seu sangue, é com o sangue do seu Filho Amado que Ele nos salva e Ele determina os meios para nos salvar. Agora não sejam iludidos por doutrinas feitas por homens, se espelhem em Jesus Cristo que foi exemplo de humildade e sabedoria, teve uma vida simples e ensinava o caminho da felicidade e salvação.
Dentro da Congregação Cristã no Brasil, encontrará a Palavra de Deus como Ele fazia antigamente no tempo dos profetas e apóstolos usando quem ele quer para transmitir a sua Verdadeira Palavra. Nada contra a outras denominações, todos podem se salvar através do batismo mencionado por Cristo que foi batizado por João Batista e quem batizou João Batista? Estes são os meios que nosso Senhor usa e não é para nossa compreensão agora, um dia Deus vai nos revelar todos estes detalhes. Então se nosso saudoso irmão Franciscon assim foi batizado pelas mãos de um irmão de outra denominação, assim Deus o quis, e se hoje existem diversas denominações que se dizem Cristãs, tudo é para honra e glória de Deus. Busquemos o merecimento de herdar o Reino de Deus, os caminhos são muitos, más só um nos levará a Deus e este caminho é Jesus Cristo. Dentro da Congregação Cristã no Brasil não vai ter a influencia de homens, não vai encontrar nenhuma facilidade, é um caminho apertado e sofrido e vai ter a guia do Espírito Santo de Deus e desta forma suas chances de receber a Salvação aumentam. Todo homem e mulher diante de Deus são responsáveis pelos seus atos, analise cada um a si mesmo, como estás diante de Deus?
Tenha Fé e Ele te mostrará o seu Caminho!!

Amém

Responder para: Leandro Porto

 
  Nome: Joél Em: 23/12/2013 | 02:23:21 E-mail: - joel-ramiro@bol.com.br
Comentários:
Amados irmãos vamos deixar de lado todas as nossas criticas e julgamentos.Pois somente o nosso pai celestial irá nos julgar naquele grande dia, porque quem julgar já estará julgando a si mesmo.Sou membro da CCB a 10 anos e logo que eu me batizei, fiquei incomado com uma certa irmã que tinha se afastado da igreja e por sinal, esta irmã havia, pecado.Mas como eu era novo na fé em minha mente não cabia ela estar dentro da igreja, pois dizem que quem peca não pode mais congregar.A palavra veio nitidamente para mim dizendo, para de julgar sua irmã quem é vc pra julgar sua irmã...Daquele dia pra frente nunca mais julguei irmão que saíram da fé e resolveram se reconciliar pois nós não conhecemos os coraçãoes de nossos irmãos...Que a paz de Deus esteja com todos.

Responder para: Joél

 
  Nome: Priscila Em: 03/11/2013 | 12:58:41 E-mail: - priamaralted@hotmail.com
Comentários:
O entendimento do Valdinei Saraiva é um “DIVISOR DE ÁGUAS”.

"Foi mudado o 1 topico , porque realmente a biblia e um livro que conta varias historias, e ate feitos do diabo, entao ela nao e toda a palavra de DEUS, mas contem toda a palavra de DEUS, entendeu amados e diferente , os irmaos do bras tem a luz de DEUS."

Fonte:valdinei saraiva Em: 02/11/2013 | 23:53:52 E-mail: - saraiva.nei@hotmail.com

Responder para: Priscila

 
  Nome: Alan Em: 20/10/2013 | 14:48:09 E-mail: - alanferreirad@yahoo.com
Comentários:
No dia 4 de setembro de l909, Francescon e Giacomo Lombardi (iniciador do movimento na Itália), embarcam em Chicago, para a cidade de Buenos Aires, capital da Argentina, em contato com familiares de membros da Igreja norte-americana, instalaram o trabalho pentecostal entre a colônia italiana dali. Hoje, a Igreja que ali surgiu foi incorporada pela Igreja Cristã Pentecostal da Argentina.

Responder para: Alan

 
  Nome: Edson Em: 13/09/2013 | 13:27:40 E-mail: - edsonbandei@uol.com
Comentários:
PENTECOSTAIS. Surgidos nos EUA (onde batistas e metodistas são fortes), se espalharam por regiões pobres. Aceitam manifestações do Espírito Santo, como a capacidade de curar doentes. No Brasil, são conhecidos pelos COSTUMES RÍGIDOS.

Responder para: Edson

 
  Nome: Rodrigo Em: 10/09/2013 | 17:28:10 E-mail: - rodrigomsales@terra.com
Comentários:
Evangélicos, é importante esclarecer, é a mesma coisa que protestantes. As duas palavras são sinônimas. Ou seja, evangélicas são praticamente todas as correntes nascidas do racha entre o teólogo alemão Martinho Lutero e a Igreja Católica, em 1517 (veja infográfico na página 54). O alemão estava especialmente chateado com o comportamento dos padres, que, segundo ele, tinham virado corretores imobiliários do céu, comercializando indulgências – vagas no Paraíso para quem pagasse.

Lutero abriu a primeira fenda no até então indevassável poder papal sobre as almas do Ocidente. A ele se seguiram outros. Na Inglaterra, o rei Henrique VIII criou sua própria dissidência do catolicismo – depois batizada de anglicanismo – só porque o papa não queria que ele se divorciasse e casasse de novo. Na Suíça, Ulrico Zwinglio e João Calvino aprofundaram as reformas de Lutero. Zwinglio pregava o princípio que fundamentaria todo o movimento: o cristão deve seguir apenas a Bíblia (os católicos aceitam influências de teólogos, como Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino). Já Calvino foi o responsável pela introdução do puritanismo, que combinava regras rígidas de conduta com uma fervorosa dedicação ao trabalho. No começo do século 20, o sociólogo alemão Max Weber publicou o texto clássico A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, no qual atribui a essa invenção de Calvino o sucesso do capitalismo em países evangélicos.

Todos esses movimentos estimulavam o fim do monopólio da Igreja sobre a interpretação da Bíblia. Cabia a todo e qualquer cristão ler as Escrituras e tirar delas o que quisesse. Os protestantes recusavam a idéia de que um único líder – o papa – deveria guiar os rumos da religião. Foi isso que começou a fragmentação do movimento em diversas correntes, com pequenas diferenças doutrinárias. Surgem os batistas, os metodistas, os presbiterianos...

Mas o Brasil colonial passou quase imune à avalanche protestante. Houve apenas algumas exceções, como os calvinistas franceses e holandeses que invadiram o país – o primeiro culto evangélico por estas terras foi celebrado por franceses no Rio de Janeiro, em 1557, só 57 anos depois da missa católica inaugural. Era proibido realizar cultos de qualquer religião que não o catolicismo no território português.

A liberdade religiosa no Brasil só veio com a independência, na Constituição de 1824, ainda que impondo restrições de que as reuniões acontecessem em locais que não tivessem “aparência exterior de templo”. No mesmo ano, alemães fundaram a primeira comunidade luterana do Brasil. Logo depois chegaram as correntes missionárias, como os metodistas, dispostas a pregar nas ruas para salvar almas. Eles caíram nas graças da elite intelectual republicana que, impressionada com a “ética protestante”, defendia a presença de evangélicos como condição para a modernização do país.

Mas os protestantes que prosperaram no Brasil pouco tinham a ver com a tal ética protestante de Weber. 26/08 as 14:48h.No início do século 20, a fundação de duas igrejas seria decisiva para definir o perfil evangélico nacional: a Congregação Cristã no Brasil, inaugurada em São Paulo pelo italiano Luigi Francescon, em 1910, e a Assembléia de Deus, aberta um ano depois em Belém pelos suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg. Apesar da origem européia, eles chegaram ao país via Estados Unidos, onde se envolveram com uma nova corrente protestante, o pentecostalismo, um grupo que crescia em popularidade por lá desde a virada do século.

Começou aí o que o sociólogo Paul Freston chama de “a primeira onda do pentecostalismo brasileiro”. O movimento era desaprovado tanto por católicos quanto pelos protestantes “históricos”, como são conhecidas as correntes diretamente ligadas a Lutero e Calvino. Nem uns nem outros gostavam da principal característica da doutrina pentecostal: a exacerbação dos poderes sobrenaturais do Espírito Santo (a palavra “pentecostalismo” vem de uma passagem da Bíblia que diz que, num dia de Pentecostes – a Páscoa judaica –, o Espírito Santo desceu aos apóstolos e começou a operar milagres). O mais notável desses poderes é a capacidade que Deus tem de curar imediatamente qualquer problema de saúde – daí as cenas de aleijados abandonando muletas e míopes pisando nos óculos. O pentecostalismo cresceu na classe baixa, promovendo cultos de adoração fervorosa e improvisada, bem dissonantes dos protestantes tradicionais, tão formais quanto contidos.

Para participar das novas congregações, os fiéis eram obrigados a se submeter a rígidas normas comportamentais. Os pentecostais eram os “crentes” estereotípicos: mulheres de cabelos compridos e saia, homens de terno e Bíblia na mão. As palavras essenciais para entender suas rotinas de vida são ascetismo, ou a recusa de usufruir os prazeres da carne, e sectarismo, o isolamento do restante da sociedade. Por trás delas, está a idéia de que o cristão deve se manter concentrado em Deus. Só assim ele pode evitar que o Diabo ganhe espaço na sua vida. Para os pentecostais, o mundo é simples: o que não é de Deus é o Diabo.
A Deus é Amor, aquela que acabou de abrir um megatemplo no centro de São Paulo, é uma das mais rigorosas entre as pentecostais. Ela proíbe freqüentar praias, praticar esportes ou participar de festas. Às mulheres, é vetado cortar o cabelo e depilar. Crianças com mais de 7 anos não podem jogar bola, graças a um versículo bíblico que diz “desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança”. Tantas regras têm compensação: para os pentecostais, o melhor da vida está reservado aos fiéis para depois da morte.

Até a década de 50, esse modelo reinou sozinho no pentecostalismo nacional. Fez sucesso, mas ficou restrito a grupos relativamente pequenos. A chegada da “segunda onda”, no entanto, traria uma novidade. É o que se convencionou chamar de “neopentecostalismo”. Em 1951 desembarcou aqui a Igreja do Evangelho Quadrangular, inaugurando no país o pentecostalismo de costumes liberais. “Todas essas igrejas que fazem sucesso hoje são nossas filhas, netas ou bisnetas”, diz o pastor Neslon Agnoletto, do conselho nacional da Quadrangular. De fato, inovações como os hinos com ritmos populares, a forte utilização do rádio e regras de comportamento menos duras, todos ingredientes indispensáveis do “evangelismo de massas”, foram práticas importadas pela Quadrangular, fundada nos Estados Unidos em 1923.

Do texto de: Sérgio Gwercman

Responder para: Rodrigo

 
  Nome: Ramiro Em: 05/09/2013 | 08:29:35 E-mail: - miroandrad@globo.com
Comentários:
"O protestantismo ingressou de fato no Brasil, a partir da transferência da família real portuguesa para o Brasil em 1808, que resultou na elaboração do artigo 12 que declarava relativa liberdade de culto."

Responder para: Ramiro

 

« Anterior - [ 1 ] - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - Próxima »

 

Veja abaixo alguns produtos para irmãos e irmãs

 
Renda Média
R$ 50,00
Renda Média
R$ 48,60
Renda Média
R$ 52,52
Véu Quadrado Infantil
R$ 35,10
Renda Larga
R$ 93,12
Véu Redondo Renda Larga
R$ 71,50
Renda Média
R$ 86,12
Renda Média
R$ 86,12
Renda Média
R$ 44,54
Véu Redondo para Mocinha
R$ 51,50
Véu Quadrado Largo
R$ 71,50
Renda Média
R$ 84,72
 
INDIQUE O CCB HINOS PARA NOSSOS IRMÃOS, AMIGOS E TESTEMUNHADOS
   
Seu Nome:
Seu Email:
Pessoa indicada (nome):
Pessoa indicada (email):
Digite uma mensagem para seu amigo:
 
         


Sistema para Imobiliária

*Site não vinculado com a entidade Congregação Cristã no Brasil.

Desenvolvido por KUROLE